35 anos de “Bad”: O último resquício do auge de Michael Jackson.

Falar sobre Michael Jackson é fácil já que ele é um homens mais populares da história do mundo, e teve seus méritos. O poder de influência e nível de qualidade como artista o colocam num patamar de intocável. Mas apesar de tudo isso, ele não se manteve no auge durante toda a vida e hoje vamos conversar sobre os 35 anos do disco “Bad” que na minha opinião foi o último resquício do auge criativo de Michael!

Até então, Michael havia lançado o disco “Thriller” de 1982, que dispensa maiores apresentações, o maior auge criativo dele, o disco mais vendido de todos os tempos, a grande obra prima desse gênio! E depois disso, seu status de rei do pop aflorou mais do que nunca e seu nome acabou chegando a um patamar inatingível.

Passados 5 anos, Michael continuou com turnês e se envolvendo em muitos projetos bacanas, parcerias e projetos visuais muito interessantes como videoclipes e mini filmes. E musicalmente, Jackson ainda tinha muito a dizer. Nos parâmetros fora da música, Michael se envolvia em polêmicas por conta da mudança drástica de visual que eu não vou entrar no mérito por aqui mas que mexeu com sua carreira. Para seu próximo trabalho, Jackson pensou em fazer um disco triplo mas acabou sendo barrado por Quincy Jones.

E em 1987, Michael lançou seu sétimo disco de estúdio, se chamaria “Bad”, os temas desse disco seriam polêmicos e musicalmente ele seria diverso apesar de marjoritariamente ele ser um disco pop. A produção é perfeita, grandiosa e similar ao seu disco anterior, ele abre com a música “Bad”, talvez o maior sucesso desse disco, uma das melhores composições dessa era, e um dos videoclipes mais icônicos da história da música. Como curiosidade essa era para ter sido uma parceria entre ele e Prince que acabou recusando o convite.

Em seguida, “The Way You Make Me Feel”, é uma das melhores e mais vibrantes de toda carreira de Michael, muito alto astral, divertida e dançante. Outro grande destaque que fez muito sucesso nas rádios é “Man In The Mirror”, uma grande balada. E mais pro lado B, uma que eu simplesmente adoro é “Smooth Criminal”, que também possui um videoclipe icônico, grande música!

De considerações finais, “Bad” é um dos melhores discos do ano de 1987, ele representa muito bem a música pop daquele período e mostra o talento de Michael que apesar de estar numa decrescente musical, ele conseguiu fazer mais uma bela obra! E você, o que acha desse disco? Fica a nossa homenagem!




Autor: Neto Rocha

24 anos, e grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.