“#1 Record”: A perfeita e subestimada estreia de Big Star.

Chris Bell é um músico subestimado pelo público em geral e consequentemente não costumamos ouvir a galera falar sobre a banda Big Star, com a excessão de uns 2 hits. E me proponho mais uma vez em falar sobre um disco fantástico para ajudar a galera conhecer mais, o grande “#1 Record”!

Vindo lá de Memphis, a banda Big Star chegou em 1972 com muita sede, calcada no Rock clássico que estava atingido um nível de excelência naquele período. Sua sonoridade seria bastante fiel ao gênero porém longe de ser genérico ou esquecível. O nome do disco seria bem simples “#1 Record”, e as composições seriam inacreditáveis de tão boas.

Poucas bandas na história do Rock conseguiram estrear com uma sonoridade pronta, sem defeitos e com esse nível de músicas complexas e sensíveis, é aquele tipo de presente pronto pra galera ouvir. E isso é provado em cada uma das faixas. A banda também não deixaria de apostar em outros instrumentos além das guitarras e melodias tão simples.

O disco abre com a hipnotizante “Feel”, um Rock épico, que chama a atenção pra caramba como abertura, ela te surpreende e já garante que estamos tratando de uma banda que chegou pra somar muito na cena. Em seguida, “The Ballad Of El Goodo”, uma balada inesquecível e sentimental, impossível não se apaixonar. Já o destaque incomparável é “In The Street”, a melhor faixa do disco, dos grandes clássicos do Rock, para quem curte a série “That´s 70s show”, vai reconhecê-la na abertura do programa. Não posso deixar de citar outra grande composição do disco que é “Thirteen”!

De considerações finais, o “#1 Record” é um disco de estreia extremamente subestimado. E merece demais que a galera corra atrás dele e aprecie esse verdadeiro tesouro perdido da história do Rock. Com certeza não vão se arrepender! Fica a recomendação!

Autor: Neto Rocha

24 anos, e grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.