45 anos de ”Even In The Quietest Moments”: Mais um fantástico disco do Supertramp.

O Supertramp é daquelas bandas que não erra, eu fico impressionado com o nível de cada disco, cada composição, das performances, é tudo muito bem alinhado e bem executado, portanto seria difícil vir aqui para falar mal deles. Hoje comemoramos os 45 anos de um dos melhores discos deles, o maravilhoso ”Even In The Quietest Moments”!

Até então, a banda havia lançado os grandes ”Crime Of The Century” de 1974 e ”Crisis? What Crisis?” de 1975, dois discos que já mostram um Supertramp maduro e praticamente pronto dentro da sonoridade que iriam aplicar dali em diante. Depois, a banda seguiu produzindo muito e em 1977, mais precisamente há 45 anos, a banda lançou ”Even In The Quietest Moments”!

Neste trabalho, o Supertramp seguiria uma linha muito parecida com os dois anteriores, mas eu sinto aqui uma sonoridade uma pouco mais séria, se é que vocês conseguem compreender, sobre a produção, é cristalina, a banda está perfeita, as composições são maravilhosas e o resultado é um disco praticamente perfeito.

Falando um pouco das músicas, é impossível não destacar logo de cara ”Give A Little Bit”, uma faixa de abertura como poucas, uma canção mágica, épica, uma das maiores composições da banda e de todos os tempos. Eu também adoro a faixa título e a mágica ”From Now On”, que é uma música que só o Supertramp poderia fazer, uma switch épica e maravilhosa!

De considerações finais, ”Even In The Quietest Moments” é um disco maravilhoso, muito bem fechado e amarrado, com lindas músicas e que mostra a regularidade e qualidade do Supertramp, é maravilhoso poder ter acesso à grandes discos desse calibre. Fica a homenagem e recomendação nos 45 anos de seu lançamento!

Autor: Neto Rocha

24 anos, e grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

2 pensamentos

  1. Esse é de fato um disco maravilhoso do Supertramp, disco esse que antecedeu aquele que é até hoje o meu favorito na discografia deles: o incomparável Breakfast in America, de 1979. Sobre o disco em questão, Even in the Quietest Moments, além das três músicas destacadas pelo patrão (a faixa-título, “Give a Little Bit” e a balada “From Now On” cantada por Rick Davies), deixo um destaque especial para o encerramento com os quase 11 minutos de uma das músicas mais impressionantes dos anos 1970 que eu conheço: “Fool’s Overture” com destaque para a atuação vocal de Roger Hodgson (que para mim, é o verdadeiro gênio da banda).

    Uma curiosidade é que eu conheci esta banda através deste disco que meu pai tinha em vinil, há muito tempo atrás, quando eu ainda era criança, lá pelos meus cinco, seis anos de idade. Enfim, longa vida a Roger Hodgson, Rick Davies e toda a turma do Supertramp por terem feito belos trabalhos nos anos 70 que até hoje são dignos de relevância e reconhecimento. Desculpe a demora, patrão… Mas é HOJE que eu descubro esta postagem aqui no blog!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s