50 anos de ”Meddle”: O disco de transição do Pink Floyd

Ta legal, eu sei que o Pink Floyd é uma das bandas mais adoradas pelos seguidores do Entre Acordes. Apesar de apresentarem uma sonoridade muito conceitual e difícil, a banda soube muito bem cativar o grande público e hoje um disco fantástico deles está completando exatos 50 anos, o ”Meddle”!

O ano de 1971 por si só já vale por completo, eu sempre falo aqui que pra mim esse é o maior ano da história da música pop, muitos lançamentos inacreditáveis, bandas no auge ou quase no auge e esse era o caso Pink Floyd, a banda vinha numa crescente incrível e em neste ano lançaram um disco primoroso e muito inspirado, o ”Meddle”? Mas o que rolava com a banda na época?

Em 1970 eles lançaram a obra de arte chamada ”Atom Heart Mother”, outro grande momento na carreira deles. Depois a banda se viu meio sem muito norte sobre qual seria seu próximo disco e passou a compor em cima de experimentos dentro do estúdio o resultado foi um disco com 6 faixas em 46 minutos. Ele foi gravado em vários estúdios diferentes em Londres mas a sonoridade ficou bem uniforme na minha opinião.

O disco começa com ”One Of These Days”, uma faixa instrumental bem obscura e experimental, apesar de muito boa não representa o som do disco. A seguir temos a balada ”A Pillow of Winds”, um bom momento depois da eletricidade anterior. ”Fearless” é uma verdadeira aula de guitarra de David Gilmour, sem mais. ”San Tropez” na minha opinião é melhor música desse disco, simples porém muito bem executada, já ”Seamus” é quase uma vinheta para a próxima faixa, como curiosidade o nome da faixa e o cão que uiva na música é o cachorro de Steve Marriot. O disco fecha com ”Echoes” uma das switchs mais famosas do Pink Floyd, ocupando todo o lado B do disco a faixa conta com mais de 23 minutos, é uma experimentação muito interessante que faz do disco ainda mais enigmático.

Eu diria que ”Meddle” é um disco de transição para o Pink Floyd, ele é um disco fechado, e é um passo lógico vindo do seu antecessor. Aqui nós já conseguimos ver um trabalho mais bem elaborado flertando diretamente com o que a banda seguiria fazendo no decorrer da década de 1970. É um disco obrigatório para se ter na coleção se tratando da banda, fica a nossa homenagem nos 50 anos de seu lançamento!

Autor: Neto Rocha

24 anos, e grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

3 pensamentos

  1. Meddle foi o primeiro disco em que o Pink Floyd começou a acertar o passo, na minha opinião, e que antecipa a chamada “segunda fase criativa” dos caras, com o lançamento do aclamadíssimo álbum The Dark Side of the Moon, dois anos depois. Um dos meus cinco favoritos da banda, com destaque para a soberba canção “Echoes”, presente no lado B inteiro da versão em vinil da bolacha.

    Curtido por 1 pessoa

      1. Sim, patrão… “Echoes” é daquelas suítes do progressivo que conseguem agradar o ouvinte do início ao fim, sem que ele se sinta enjoado. Uma obra-prima incontestável!

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s