55 anos de ”Pet Sounds”: A divina obra prima dos The Beach Boys.

Seu fizesse uma lista de 10 maiores e melhores discos de todos os tempos, certamente o Pet Sounds estaria. É fato que os Beach Boys não fizeram muitos discos realmente sensacionais, mas quando eles acertaram, eles acertaram como poucos, vamos comemorar hoje os exatos 55 anos que esse monumento da cultura pop foi lançado e vamos entender um pouco de sua história, afinal de acordo com McCartney, “Ninguém é educado musicalmente até ouvir esse álbum.”!

Os irmãos Brian, Carl e Dennis Wilson são a grande alma por trás da banda e juntos entraram para a história com esse disco que dispensa maiores apresentações, mas o que fez esse grande disco ser o que ele representa olhando retrospectivamente?

Para começar vamos contextualizar a época e oque estava rolando. Bom, o pessoal já sabe que rolava uma grande rivalidade entre os Beach Boys e os Beatles, Brian Wilson disse certa vez que quando ele ouviu o Rubber Soul pela primeira vez, a cabeça dele mudou completamente de imediato e a partir dai ele encontrou uma referência para poder exalar toda a sua genialidade como compositor que até então não havia sido aproveitada na minha opinião. Até porque os Beach Boys vinham do Beach Boy’s Party que pra mim é um disco comum, lançado em 1965.

Além da inspiração musical, Brian teve uma viajem de LSD bem intensa e a partir dai modificou seu método de composição para algo mais pessoal e íntimo enquanto sua saúde mental deteriorava.

Com a inspiração mais do que absorvida, Brian Wilson reuniu diversas ideias e ele de fato já entrou em estúdio com o objetivo de criar o maior disco de todos os tempos, visionário. Para isso, Brian se inspirou na grandiosidade da produção de Phil Spector com diversas camadas sonoras, um estilo de gravação alternativo e instrumentos diferentes, tudo isso aliado à suas novas e promissoras composições. Pet Sounds ainda foi o primeiro disco a duplicar quase todos os instrumentos.

Outra adição que faria muita diferença seriam os músicos de estúdios conhecidos como ”The Wrecking Crew”, músicos de estúdio que tocaram em diversos discos importantes no decorrer da década de 70. Saiba que Pet Sounds é quase que um disco solo de Brian Wilson, similar com o que o The Wall foi para o Pink Floyd com Roger Waters.

Falando um pouco sobre as músicas, o disco abre com um tremendo clássico ”Wouldn’t It Be Nice”, a música mais clássica não só do disco como de toda a carreira da banda, uma faixa muito alto astral, ensolarada, radiofônica e perfeita. Como curiosidade a faixa quase ficou de fora do disco, inacreditável, não? A seguir, eu destaco ”That’s Not Me”, uma balada muito bacana e cativante é a cara da música pop dos anos 60. Já ”Don’t Talk (Put Your Head On My Shoulder)” é uma balada muito sincera, simples, sentimental e até inocente, confesso que sinto falta de composições assim nos dias de hoje. Chegamos na melhor música do mundo ”Let’s Go Away For A While”, talvez a música instrumental mais linda de todos os tempos, que música, amigos! A música que fala sem usar uma palavra, colocada no lugar perfeito do disco, uma faixa que gera muita reflexão e gratidão, perfeita! ”God Only Knows” é outro momento muito importante do disco, Paul McCartney uma vez disse que essa é a melhor música pop de todos os tempos, talvez eu concorde com ele!

O disco fez um sucesso extraordinário, ele abriu as portas para trabalhos extraordinários posteriores e desde então ganha diversas eleições e prêmios de maiores discos da história. É um trabalho que influenciou todo mundo, os próprios Beatles fizeram o Sgt. Peppers 1 ano depois muito inspirados na revolução musical que os Beach Boys fizeram nesse disco, para você ver o tamanho dele.

Eu honestamente não consigo discorrer tudo o que eu sinto e tudo o que Pet Sounds é em apenas um texto, a cada audição, minha percepção muda e encontro novas mensagens e sensações em cada uma das faixas. Quando dizem que a música bem feita chega ao nível de qualquer obra artística revolucionária e importante, apenas alguns poucos discos chegam na minha mente, e não seria um absurdo eu dizer que talvez o primeiro seja o Pet Sounds.

Sei que não representa muita coisa, mas eu sinto um enorme privilégio e satisfação poder falar um pouco sobre um trabalho como esse, mesmo que para poucas pessoas, mas eu acredito no poder da música e se algum dia uma pessoa mais nova entrar no site do Entre Acordes e se deparar com esse texto, saiba que você pode ter sua vida transformada e levar consigo um disco que te acompanhará em todos os momentos, na felicidade, na tristeza, porque é isso, grandes obras se encaixam perfeitamente em qualquer sentimento e estado de espírito.

Termino dizendo que ouçam e compartilhem uma das maiores obras de arte de todos os tempos! Fica a minha singela homenagem, nos 55 anos do grande ”companheiro”, Pet Sounds!

Autor: Neto Rocha

23 anos, e grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s