40 anos de ”Faith”: Um disco fúnebre do The Cure.

Uma das bandas mais icônicas da década de 80, o The Cure foi praticamente perfeito durante essa década em termos de discografia. Eles alternaram bastante entre discos desesperançosos e um pouco mais otimistas e hoje um dos discos mais obscuros da carreira da banda está completando exatos 40 anos, o ”Faith”!

A banda havia lançado o excelente disco de estreia ”Three Imaginary Boys” em 1979 e no ano de 1980, o grande ”Seventeen Seconds”. O último tem uma vibe bem dark e pesada no melhor estilo The Cure possível, só que eu sinto uma crueza com relação à composição, acredito que a banda acabou a refinando um pouco mais no disco homenageado de hoje, o ”Faith”.

Neste disco, a banda apostou ainda mais em um clima soturno e uma vibe de produção claustrofóbica bem característica como o Joy Division fez nos discos ”Unknown Pleasures” e ”Closer”. O disco. possui um ritmo bem cadenciado e explora com cuidado um ritmo mais acelerado, ele não estimula tristeza e ansiedade mas sim uma melancolia relaxante e fria, é o tipo de disco que não combina nada com um dia ensolarado de verão.

Não possui nenhum hit óbvio e nem não óbvio, só de ter uma faixa com o nome ”The Funeral Party” que é fantástica por sinal, já nos faz imaginar que esse disco não funciona na festa para animar a rapaziada nem nada do tipo. Curiosamente fez um enorme sucesso e foi bem importante nesse início de carreira do The Cure, e merecidamente, é um disco incrível.

”Faith” é um disco artístico, talvez até conceitual. Ele poderia muito vem ser usado como símbolo definitivo do que é o pós punk, toda sua estética foi feita com cuidado para transparecer essa vibe. É o tipo de disco que sempre tem seu momento para ser revisitado durante o ano, é uma ótima companhia em frias madrugadas. Fica a homenagem e recomendação!


Autor: Neto Rocha

23 anos. Grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

Deixe um comentário