45 anos de ”Destroyer”: O Kiss mostrando que podiam fazer um disco épico e grandioso.

Kiss é uma das maiores entidades da história do Rock, seu visual é tão impactante quanto sua música e suas fases dentro da discografia são muito emblemáticas, reunindo uma legião de fãs e defensores. Um dos discos mais adorados pelos fãs é o ”Destroyer” que hoje está completando 45 anos! Vamos entender um pouco o contexto que ele foi lançado.

Vale a pena relembrar o que estava rolando com a banda na época. No ano de 1975, a banda havia lançado ”Dressed To Kill”, um disco muito bom com clássicos da banda mas que em termos de produção, ficou devendo. Ainda em 1975, eles lançaram um disco ao vivo que mudaria o seu patamar comercial, o ”Alive”. O sucesso chegou e com isso se abriu possibilidades para experimentar algo mais ousado e mais bem elaborado.

Foi então que em 1976, o Kiss aderiu à um novo produtor ”Bob Ezrin”. Um grande produtor que trabalhou com muita gente boa como Lou Reed e Pink Floyd, com isso a banda decidiu apostar em um disco mais grandioso e épico, provavelmente eles queriam passar uma imagem de seriedade e mostrar que tinham como fazer um trabalho mais fechado e artístico, saindo um pouco da temática ”Sexo, drogas e rock n roll”. Dessa forma, um bom caminho pra demonstrar essa nova vertente da banda seria o lançamento de ”Destroyer”.

Para entendermos melhor o que mudou na sonoridade nesse disco, vamos falar um pouco sobre os destaques do disco. Ele já abre com um petardo ”Detroit Rock City”, pra quem acha que a banda não iria mais fazer Rock N Roll franco, estão enganados! Essa música é uma verdadeira pedrada e permanece um dos carros chefe da banda até hoje. ”King Of The Night Time World”, também é uma das grandes músicas desse disco, outro exemplo de como o Rock pode ser bem executado e com algum refinamento. ”Great Expectations” é a faixa mais épica desse disco, possui orquestrações, um coro enorme e uma vibe que incrivelmente casou bem com a banda, ela reflete bem a onda do disco. ”Shout It Out Loud” também é uma das mais reverenciadas músicas pelos fãs do Kiss e da um excelente ritmo ao álbum. Agora, ”Beth” é simplesmente uma das coisas mais lindas que eu já ouvi em toda a minha vida, também é uma das minhas primeiras lembranças musicais da vida, uma linda balada na voz do baterista ”Peter Criss”!

A verdade é que o ”Destroyer” é um disco controverso entre os fãs. Apesar de contar com clássicos da carreira da banda e serem um dos mais bem sucedidos comercialmente, foi um disco que causou estranhamento por conta da sua vibe épica, o que para mim foi um acerto. Essa sonoridade casou bem com a banda e foi um passo natural dentro de sua discografia. E para você, ”Destroyer” foi um disco que funcionou?

Autor: Neto Rocha

23 anos, e grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s