55 anos de ”Bluesbreakers” With Eric Clapton: Um clássico absoluto do John Mayall & The Bluesbreakers.

Vamos falar de Blues. Existem discos pilares de cada movimento, e com o Blues não é diferente, em se tratar dos anos 60, a gente logo lembra do ”Live At Regal” do B.B. King, o ”At Newport” do Muddy Waters e por ai vai, grandes discos mas muito provavelmente quando eu penso em Blues nos anos 60 me vem logo à cabeça o disco ”Bluesbreakers” do John Mayall & The Bluesbreakers With Eric Clapton e hoje ele está completando exatos 55 anos do seu lançamento!

E como rolou toda essa história? Na década e 50 o Rockabilly estava bastante em alta mas o blues elétricos já começava a dar as caras no mainstream, tanto que influenciou demais os músicos ingleses da época que estavam começando suas carreiras, como ”Rolling Stones”, ”Beatles”, ”Fleetwood Mac” e tantos outros. Outro artista que foi muito influente e resgatou o Blues americano nos anos 60 para o Reino Unido foi John Mayall.

Agora um paralelo importante a ser traçado é o que acontecia na carreira de Eric Clapton até então, ele havia entrado para os Yardbirds que era outra banda muito submersa no Blues, após registrar algumas músicas como guitarrista da banda, Eric começou a ficar insatisfeito com os rumos sonoros que a banda seguia, eles estavam começando a enveredar para algo mais pop parecido com os Beatles.

John Mayall havia lançado apenas um disco ao vivo em Londres no ano de 1965, um disco comum mas bem enraizado no Blues. Bom, o desenho já estava traçado, John Mayall precisava de um guitarrista diferenciado e que amasse o gênero, Clapton estava disponível, logo Mayall convocou Eric para a banda e a partir daí a história seria feita, tudo estava pronto para lançarem o ”Bluesbreakers” With Eric Clapton em 1966.

Musicalmente o disco alterna entre um Blues tradicional e uma onda de Blues Rock poderosa invadindo os altos falantes, muito do mérito dessa sonoridade está nas mãos de Eric Clapton que desenvolveu a sonoridade rasgada da guitarra de Rock N’ Roll antes mesmo de Jimi. Reza a lenda que Eric foi um dos pioneiros ou o pioneiro em colocar sua Gibson Les Paul no amplificador da Marshall que nem era essa moda toda como nos tempos recentes, ele ligou o volume no máximo e tocou alto, isso resultou naquele som de guitarra que vemos em cada uma das faixas, gênio é pouco!

Como curiosidade, foi nessa época que Eric ganhou o apelido de ”Clapton Is God”, frase que ganhou pichações em diversas ruas de Londres, Clapton diz que não curtiu muito a ideia mas em termos de guitarra na época sua revolução foi tamanha que acabou causando essa reação na galera. Eu cheguei a ir no local mais famoso de uma dessas pichações, vou deixar o registro a seguir da foto e também consegui ver uma apresentação de John Mayall em 2019 onde também consegui fiz um registro, ambas estão a baixo;

Os ”Bluesbreakers” entraram em hiato no ano seguinte, Eric Clapton formou o Cream e eles ficaram décadas sem se reunir novamente. Acontece que os anos foram se passando e o disco foi ganhando uma aura especial e em qualquer listagem de melhores discos de 1966 ou até da história ele aparece em posições muito relevantes! Fica a nossa homenagem e recomendação, esse pilar do Blues!






Autor: Neto Rocha

23 anos, e grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s