50 anos de ”Chunga’s Revenge”: A transição sonora de Frank Zappa.

Volta e meia a gente vem aqui falar de Frank Zappa, e não é para menos, esse gênio lançou cerca de 70 discos em vida e produziu muita coisa boa ao longo desses anos que esteve na ativa. Só no ano de 1970 ele lançou 2 grandes discos, um deles já ganhou uma review aqui no blog, o ”Weasels Ripped My Flesh” e o outro é o aniversariante escolhido ”Chunga’s Revenge”, que está completando 50 anos!

Zappa 1970

Vindo do já citado ”Weasels Ripped My Flesh”, o incansável Frank Zappa já em carreira solo decide bombear toda a sua genialidade e produzir mais um disco no ano de 1970. O título do disco remeteria a uma mudança na orientação conceitual de seus trabalhos, diferente das críticas satíricas à política dos anos 60, também seria uma brincadeira com a mudança sonora desde o Hot Rats que era um disco de Jazz Fusion.

Em ”Chunga’s Revenge”, Frank Zappa apostaria em um direcionamento musical mais voltado para o Rock e Blues, mas ainda assim outros estilos seriam abortados, aqui vamos nos deparar com uma sonoridade menos experimental e mais convencional em sua maior parte. Logo na abertura podemos ver essa diferença, ”Transylvania Boogie”, somos recebidos com uma pedrada de Rock N Roll bem acelerada e instrumental, uma faixa com guitarras distorcidas mas dentro do padrão convencional, uma abertura memorável. Em ”Road Ladies”, aparece o Blues em seu estado puro, Frank Zappa nos mostra mais uma vez o porquê ele é um verdadeiro gênio, uma composição simples porém com muito feeling na sua clássica SG. Já em ”Twenty Small Cigars”, o Jazz puro funciona como uma vinheta de passagem com pouco mais de 2 minutos para ”The Nancy & Mary Music”, que é praticamente uma Jam ao vivo de 9 minutos. Em, ”Tell Me You Love Me”, ”Would You Go All The Way” e ”Chunga’s Revenge” o Rock N’ Roll franco é abraçado com muita energia e visceralidade, uma grande sequência que engrandece o disco. A trinca final com ”The Clap”, ”Rudy Wants To Buy Yez A Drink” e ”Sharleena” trazem uma pegada mais climática para o encerramento do disco.

De considerações finais, ”Chunga’s Revenge” é um dos grandes discos da carreira de Frank Zappa, ele mostra mais uma vez que o Zappa jamais se apegou numa fórmula, muito pelo contrário, é um disco que abrange o Rock em sua maior parte mas mesmo assim abraça o Jazz e Blues. É um trabalho primoroso e pra quem ainda não ouviu, aproveite essa comemoração para entrar na onda do Zappa!

Chunga's Revenge

Autor: Neto Rocha

23 anos. Grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

Deixe um comentário