45 anos de ”Still Crazy After All These Years”: Um disco emocionante de Paul Simon.

Vou confessar a vocês de que não sou um dos maiores fãs da icônica dupla ”Simon & Garfunkel”, eu a ouço esporadicamente, mas infelizmente eles estão longe de serem o meu grupo favorito. Mas acontece que existe um disco em especial, de que eu realmente amo com todas as minhas forças e que está completando 45 anos, vamos sentar na poltrona com alguma bebida quente e celebrar os 45 anos de ”Still Crazy After All These Years”!

Paul Simon 1975

O Paul Simon vinha do mediano ”There Goes Rhymin’ Simon” de 1973 e demonstrava alguma mudança sonora desde os tempos da dupla. Era possível ver um maior desenvolvimento de identidade sonora aliado ao seu amadurecimento pessoal e de composição. No ano de 1975, Paul Simon se viu determinado e muito inspirado para a gravação do seu quarto disco, ”Still Crazy After All These Years”.

O disco carregaria uma carga emocional e lírica gigante, no mesmo estilo do ”Blood On The Tracks” do Dylan, ”Here My Dear” do Marvin Gaye ou ”Layla And Other Assorted Love Songs” do Derek And The Dominos. A diferença que se tratando de Paul Simon, o disco teria um tom leve e sutil mas com uma carga muito séria.

Ele contou com diversos músicos convidados para cada uma das faixas e optou por uma produção bem grandiosa no estilo do disco ”Bridge Over Troubled Water” mas ainda assim com um cuidado ou sofisticação mais apurado, o curioso que mesmo com todo esse refinamento, o disco soa de uma maneira bastante intimista e sincera.

Ele abre com a faixa título, ”Still Crazy After All These Years”, uma de suas músicas mais simbólicas e líricas, ela começa com um teclado simples e lindo. As orquestrações nela e no disco como um todo são de emocionar. Uma das melhores composições de todos os tempos. A seguir ”My Little Town” é a minha preferida do disco, um grande momento, ela marca o reecontro da dupla Simon & Garfunkel pela primeira vez após o término da parceria. A letra foi inspirada no poema “Crow: From the Life and Songs of the Crow” do poeta Ted Hughes, e em algumas referências, podemos considerar que se trata do relato de uma pequena cidade assolada por desesperança, pobreza e falta de perspectivas de seus cidadãos. ”50 Ways To Leave Your Lover”, é um dos grandes destaques do disco, ela começa com uma das introduções de baterias mais icônicas da história, com uma letra bem pessoal e sentimental ela cadencia muito bem o lado A.

”Still Crazy After All These Years” fez um grande sucesso, ele foi o marco do amadurecimento musical de Paul Simon e é sem dúvidas um dos melhores lançamentos do impecável ano de 1975. Se você quer se emocionar do início ao fim e refletir um pouco sobre a vida, de uma ouvida nesse disco e depois venha nos comentários falar como foi a sua experiência. Fica a homenagem e recomendação!

Still Crazy After All These Years

Autor: Neto Rocha

23 anos. Grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

Deixe um comentário