50 anos de ”Let It Bleed”: Os Stones finalmente encontraram seu caminho.

Dificilmente uma banda começa uma carreira com sua sonoridade e identidade completamente definida, alguns nomes como The Jimi Hendrix Experience, The Doors, Guns N’ Roses, Ramones e Led Zeppelin conseguiram iniciar sua discografia com praticamente tudo devidamente ajustado.

Outras demoram um pouco para encontrar seu caminho deifinitivo, e os The Rolling Stones se encaixam perfeitamente nesse segundo exemplo, apesar do grande ”Beggars Banquet” de 1968 já ser um disco coeso e com a cara dos Stones, foi só no ano seguinte com o lançamento de ”Let It Bleed” (seu oitavo disco) que a banda encontrou seu som definitivo, pelo qual seguem até os dias de hoje. E esse clássico completa hoje exatos 50 anos de seu lançamento.

The Rolling Stones Band 1969

Os Rolling Stones tiveram um pouco de dificuldade em se destacar no mesmo nível de seus contemporâneos ingleses entre a primeira e o início da segunda metade da década de 60. Além do problema em encontrar um som autoral, a banda lidava com o declínio emocional e físico de Brian Jones, o dono da banda naquele começo. Aqui Brian já não era mais tão fundamental nem presente nas gravações, ele participa apenas em duas faixas, “Midnight Rambler” e “I Got The Silver”.

Com esse quadro, a banda se viu obrigada a tomar uma atitude, foi então que Brian Jones foi demitido durante as gravações, e pouco tempo depois seria encontrado morto. Em seu lugar, Mick Taylor viria dos Bluesbreakers. E foi nessa mudança na guitarra que a banda alcançaria um outro nível de evolução e entraria de vez no Rock ‘n’ Roll clássico que dominaria a década de 70.

O nome do álbum parece até um contraponto ou trocadilho dos Beatles que lançariam “Let It Be” no ano seguinte, apesar do lançamento posterior, o disco dos Beatles foi gravado antes de “Let It Bleed”, e como a relação das duas bandas nos bastidores era bastante próxima, eu acredito que isso possa ter sido pensado.

O disco é recheado de músicas que se tornaram clássicos que se fixaram no setlist da banda até o presente. Petardos como a abertura “Gimme Shelter”, “Midnight Rambler” e o encerramento épico com “You Can’t Always Get What You Want” são no mínimo, clássicos da história do rock. E ao mesmo tempo, faixas mais acústicas e sensíveis como “Love In Vain”, “Country Honk” e “You Got The Silver” trazem uma certa serenidade e evidenciam a inspiração dos Stones á música americana.

Um triste, porém importante episódio que precisa ser relatado é a apresentação da banda em Altamont, apenas um dia após o lançamento do álbum. Esse dia ficou marcado como um dos mais violentos eventos da música, a banda teve a infelicidade de encarregar os Hells Angels para fazer a segurança do show. As coisas acabaram saindo do controle e uma pessoa acabou morta, e o título “Let It Bleed” parecia fazer jus ao clima sombrio que cercava a banda naquele período.

The Rolling Stones Live At Hyde Park

“Let It Bleed” foi um marco na carreira dos Stones, hoje é lembrado por muitas pessoas como o início da melhor fase dentro da discografia da banda. A entrada de Mick Taylor mudou drasticamente o som dos Stones, e definitivamente a banda se viu pronta emendar uma sequência avassaladora de discos emblemáticos cravando seu lugar como uma das melhores e maiores bandas de todos os tempos.

Let It Bleed Album Cover

 

Autor: Neto Rocha

22 anos, atleta de futebol e grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

Deixe um comentário