25 anos de ”Nirvana – MTV Unplugged”: Uma triste despedida de Kurt Cobain.

O projeto ”MTV Unplugged” tinha um propósito de extrair a essência dos artistas convidados, fazendo-os trocar as guitarras por instrumentos acústicos e á primeira vista pode parecer que só funcionaria com nomes mais inclinados á música acústica como Eric Clapton e Bob Dylan, mas surpreendemente bandas mais pesadas como Kiss, Alice In Chains e Nirvana fizeram grande sucesso trocando suas guitarras por violões, essa última lançou o que talvez seja a melhor apresentação no formato, que há exatamente 25 anos era lançado, estamos falando do grande disco ”MTV Unplugged” do Nirvana.

Com um repertório diferente, o Nirvana montou um setlist não muito óbvio, apesar de contar com um dos seus maiores clássicos ”Come As You Are”, a banda optou por músicas menos bombadas dos álbuns ”Nevermind” e ”In Utero”, e nesse meio surpreenderam com diversos covers de artistas como ”David Bowie”, ”Lead Belly”, ”Meat Puppets” e ”Vaselines”, que se encaixaram perfeitamente com a melancolia de Kurt Cobain.

Dois detalhes interessantes sobre a gravação é que a banda fez toda a apresentação em apenas 1 tomada, oque não acontecia com as demais apresentações do formato, outra coisa interessante é a montagem do palco, aparentemente Kurt teve a estranha ideia de fazer com o cenário lembrasse um velório, com várias flores e velas, e a vibe de fato era essa.

O setlist que parecia questionável á primeira vista, acabou dando resultado. O início com ”About A Girl” foi importante para nos lembrar do começo da banda lá em 1989 com o visceral disco ”Bleach”, e após aquecer os motores com ”Come As You Are”, a banda emendou 2 covers ”Jesus Don’t Want Me For A Sunbeam” dos Vaselines e ”The Man Who Sold The World” do gênio David Bowie, essa última foi extremamente importante pois o Nirvana apresentou  David Bowie para toda uma nova geração que já não se importava tanto com o anos 70. Depois tivemos uma sequência de 5 músicas autorais da banda ”Pennyroyal Tea”, ”Dumb”, ”Polly”, ”On A Plain” e a triste e assombrante ”Something In The Way”. Caminhando para o final, a banda enfilerou 3 covers dos Meat Puppets, ”Plateau”, ”Oh Me” e ”Lake Of Fire”, uma das minhas preferidas e toda a apresentação! O grand finale se consistiu em ”All Apologies” uma faixa com um peso emocional enorme e o encerramento foi uma versão de ”Where Did You Sleep Last Night” composta por Lead Belly, aqui a visceralidade e verdade na voz de Kurt Cobain retrata oque supostamente se passava no seu relacionamento com Courtney Love, ele parecia totalmente desesperançoso com tudo.

O Unplugged do Nirvana é mais do que um disco, é uma despedida de Kurt Cobain que falecera 5 meses após a gravação da apresentação, e foi do jeito que tinha que ser, melancólico como de costume, alternando entre uma visceralidade e serenidade, talvez para tentar espantar todos os demônios que o cercaram durante seus 27 anos. Fica nossa homenagem á Kurt nestes 25 anos do lançamento do seu último registro discográfico!

 

 

 

Autor: Neto Rocha

22 anos, atleta de futebol e grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

Deixe um comentário