50 anos de ”The Soft Parade”: Um advento em meio ao caos.

Há exatos 50 anos, era lançado ”The Soft Parade”, o quarto trabalho da perfeita discografia do The Doors.

jim morrison

Em 1969, The Doors passava por um momento delicado, a banda vinha de uma enorme turnê, Jim Morrison passava por vários problemas, estava sendo processado por supostamente ter mostrado o pênis num show da banda, oque resultou na não participação da banda no festival ”Woodstock” que ocorrreira menos de 1 mês após o lançamento do disco. Isso mexeu muito com Jim, fazendo-o cogitar num fim para a banda. Consequentemente ou coincidentemente, seus problemas com as drogas estavam se agravando. Com tudo indo muito mal, o trabalho teria que ser conduzido por alguém. Foi ai que entrou o produtor Paul A. Rocthchild que conduziu tudo e optou adentrar mais afundo numa sonoridade mais pop.

A recepeção não foi lá tão boa, apesar de ter chegado num lugar muito alto, o disco não conseguiu se manter nas paradas da Europa. O público não reagiu tão bem á esse som mais palatável, oque na minha opinião é um erro incrível, o disco é maravilhoso do início ao fim e surpreendentemente não reflete esse momento delicado que a banda atravessava.

Com relação ás músicas, temos alguns clássicos da banda, as duas primeiras ”Tell Are The People” e ”Touch Me”, com lindos trabalhos de metais, e letras tão boas quanto. E mais pro meio do disco ”Wishful Sinful”, uma balada maravilhosa com Jim Morrison exalando feeling como de costume. Coincidenteme essas 3 faixas que destaquei foram escolhidas como os singles do disco.

 

doors acapa

 

Para mim, os Doors acertaram em ”The Soft Parade”, levando em conta todos os fatores negativos que poderiam fazer com que o disco se tornasse um trabalho ruim. E desta vez parece que a banda se alinhou pela primeira vez com a cartilha que a música pop estava seguindo naquele finalzinho dos anos 60, e mesmo não tendo tanto sucesso em termos comerciais na época, eu sinto que nos dias de hoje o disco ganhou força e entre os fãs da banda e é considerado praticamente do nível dos demais. Eu fortemente recomendo que ouçam! Celebremos os 50 anos desta grande obra.

 

 

 

 

 

Autor: Neto Rocha

23 anos. Grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

Deixe um comentário