30 anos de ”Facelift”: A excelente estreia do Alice In Chains.

Nos inícios dos anos 90 o Grunge era o gênero que ditava o jogo! Nirvana, Soundgarden e Pearl Jam prestes a explodirem, e uma outra banda de mesmo nível iniciava sua carreira em 1990, mais precisamente à exatos 30 anos! O Alice In Chains dava às caras com seu disco de estreia ”Facelift”!

Alice In Chains 1990

O começo da banda já foi um pouco conturbado, nas vésperas das gravaçãos da primeira fita demo da banda, a polícia fechou o estúdio por conta de uma operação na cidade de Seattle contra às drogas. Mais tarde a banda se mostrou mais do que pronta a entregar um disco de estreia fantástico se mostrando como a segunda melhor estreia do movimento Grunge, atrás do Pearl Jam.

Com letras completamente desesperançosas e uma sonoridade extremamente pesada calcada no Heavy Metal e Hard Rock, o Alice In Chains enfileirou 12 faixas sombrias que mudariam o cenário em Seattle naquele ano. Como curiosidade, o baterista Sean Kinney tocou no disco com a mão quebrada.

Refletindo o clima sombrio de Seattle o disco já abre com ”We Die Young”, uma música completamente premonitória, vale lembrar que Layne Staley faleceu aos 34 anos em 2002. A seguinte é simplesmente ”Man In The Box”, o maior sucesso da banda e um dos singles do disco, talvez minha música favorita da banda, uma PAULADA. A perfomance vocal de Layne Staley em toda sua carreira é irretocável mas em especial nessa faixa, é coisa de outro planeta, o videoclipe também é um clássico que fez sucesso na MTV.

O disco segue com ”Sea Of Sorrow”, outra composição forte, poderosa e até climática, um dos melhores momentos do disco, o destaque vai para o solo de Jerry Cantrell do meio para o final! ”Love, Hate, Love” é a composição mais ”sofisticada” digamos assim,  uma faixa complexa e extremamente densa, infelizmente não tão conhecida como outros sucessos do disco, o guitarrista Jerry Cantrell a considera a grande obra prima da banda.

A capa conversa muito com o conteúdo do disco, ela chama muita a atenção e com certeza você só precisa de uma olhada nela para nunca mais se esquecer. A ideia inicial seria representar algo “do tipo embrionário”.

”Facelift” fez um enorme sucesso, a banda atingiu um outro patamar, descolando boas posições nas paradas logo de cara e dando indícios que não só de Nirvana e Pearl Jam vivira o Grunge! Celebremos os 30 anos de ”Facelift”!

Facelift Album

Autor: Neto Rocha

22 anos, atleta de futebol e grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

Deixe um comentário