”Atlantic Crossing”: A mudança dos rumos musicais de Rod Stewart.

Com uma das carreiras solos mais bem sucedidas de todos os tempos, Rod Stewart concilia bem a linha do Rock ‘N’ Roll com o Pop, um dos discos que ele dominou isso com maestria foi ”Atlantic Crossing”!

Rod Stewart 1975

Em 1974, Rod lançou o bom porém não emblemático ”Smiler” com bons covers mas nada muito mais do que isso. Em 1975 Stewart parecia sair um pouco do automático e entrou em estúdio para fazer um trabalho diferente dos seus anteriores, acredito que o ápice das composições nesse caminho seria no próximo ”A Night On The Town” de 1976, mas essa é uma outra história.

O disco ”Atlantic Crossing” fazia referência com o título para a nova passagem artística de Rod Stewart para um novo contrato com a Warner Brothers e sua ida á Los Angeles para gravar seu disco e amenizar as taxas de gravação comparada ao Reino Unido. E mais uma vez a consciência pop de Rod Stewart deu resultado, o disco alcançou o número 1 da paradas do Reino Unido coroando mais uma vez esse ícone do rock e pop setentista, merecidamente.

O disco como um todo é bastante consistente, o lado A é bastante enérgico e o lado B bem calmo. Nele não existem pontos baixos, muito pelo contrário, neste trabalho ele emplacou 2 grandes hits para o resto de sua vida, ”I Don’t Want Talk About It”, uma balada muito sensível e que mostra o quanto Rod consegue cantar e transmitir um sentimento muito puro, e ”Sailing”, que foi número 1 das paradas e curiosamente foi colocada para fechar o disco. vale ressaltar também ”Drift Away”, uma faixa muito bem composta e agradável com uma levada muito atraente. De curiosidade fica que esse é o último disco com Ronnie Wood, parceria que rendeu muitos clássicos para a carreira dos dois.

Acredito que ”Atlantic Crossing” seja um dos preferidos dos fãs de Rod, até porque é um dos meus, ele se enquadra junto aos grandes lançamentos do ano de 1975 e representa uma virada nos rumos musicais de Rod Stewart que no final da década ainda apostaria em trabalhos ainda mais pop como ”Blondes Have More Fun”. Até lá vamos atravessar o Atlântico acompanhado de um dos maiores intérpretes de todos os tempos!

Atlantic Crossing

 

Autor: Neto Rocha

22 anos, atleta de futebol e grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

Deixe um comentário