40 anos do denso ”Unknown Pleasures”.

Há exatos 40 anos atrás, um dos discos mais importantes da década de 70, era lançado.

Se me perguntassem oque é Pós-Punk, definitivamente eu escolheria o disco “Unknown Pleasures” como definição.

Com a influência dos Sex Pistols, Peter Hook, Bernard Summer e Stephen Morris, encontraram inspiração e formaram uma banda que entraria para história naquele finalzinho da década de 70, o Joy Division. Tudo foi bastante rápido, desde a formação do grupo, até a gravação e produção de seu disco de estreia.

Unknown Pleasures” ditaria o cenário que estava por vir na Inglaterra nesse período, o pós-punk. Ao meu ver, esse disco junto á estreia do Public Image Ltd. de 1978, são os grandes pilares desse movimento. 

Com a produção bem abafada e angustiante, o disco trás 10 faixas pesadas que estão de certa forma interligadas e concluem todo um diário pessoal do vocalista ”Ian Curtis”.

Além da sonoridade triste e letras desesperançosas , a capa do disco fecha toda essa temática muito bem, ela representa uma visualização monocromática das ondas eletromagnéticas emitidas por uma estrela enquanto ela morria.

Algumas faixas se destacam no disco e são elas: Disorder, Day Of The Lords, She’s Lost Control e Interzone.

joy division

”Unknown Pleasures” é um disco que se configura entre os mais importantes da década de 70, ele traz toda carga pesada de seu líder Ian Curtis, que dizimou nas letras todo seu sofrimento interno aliado com com sua voz triste e sincera tudo aquilo que o perseguia. Acredito que esse disco merece tudo oque representa dentro do seu movimento, cercado de sentimentos e de grandes músicas que ficaram para história.

 

Anúncios

Autor: Neto Rocha

22 anos, atleta de futebol e grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

Deixe um comentário