30 anos de ”Dangerous”: O último disco realmente relevante de Michael Jackson.

Falar sobre qualquer coisa que envolva o nome de Michael Jackson sempre traz toda uma grandiosidade e importância enorme. O rei do pop causou um verdadeiro furacão na música pop, desde muito jovem. Chegando para o início dos anos 90, mais precisamente há exatos 30 anos, Michael lançou um disco que divide bastante os fãs mas inegavelmente foi muito importante, estou falando sobre o ”Dangerous”!

O último trabalho de Michael até então era o o excelente ”Bad” lançado em 1987, um disco recheado de hits e exala o que foi a sonoridade pop dos anos 80. Depois disso passaram 4 anos até o próximo lançamento de estúdio de Jackson, e em 1991 um ano em que o movimento grunge dava as cartas. Mesmo como um ”estranho no ninho”, Michael decidiu lançar um disco de certa forma ousado, duplo e bem eclético, seria o ”Dangerous”.

Para as gravações, Michael chamaria uma imensidão de músicos para cada contribuição necessária no disco, aquele estilo dele perfeccionista e megalomaníaco dele seria muito bem explorado. Vale lembrar que esse foi o primeiro disco dele a não ser produzido pelo grande Quincy Jones, isso já é algo digno de atenção e desconfiança. Elementos como o, funk, hip hop, eletrônico, gospel, clássico e rock são diluídos pelo decorrer de seu andamento.

Das 14 músicas do disco, existem 4 que realmente são diferenciadas e todas elas são marcadas por video clipes super criativos e bem produzidos oque alavancou ainda mais o sucesso do disco e são elas: ”Jam”, ”Remember The Time”, ”Heal The World” e ”Black or White” todas composições realmente especiais que merecem muito um destaque positivo.

Devido a uma enorme e bela turnê, o disco vendeu muito bem e balançou muito a indústria que até então estava pensando mais no grunge. Apesar de ter uma capa meio de mal gosto na minha visão, o disco registrou alguns clássicos que fizeram por merecer esse sucesso todo por parte dos fãs! Michael era foda e soube muito bem guiar sua carreira até aquele momento.

Não seria exagero algum dizer que ”Dangerous” foi o último disco decente do Michael Jackson. Se eu for realmente enxugar sua discografia e traçar os discos realmente lineares, eu teria que fechar o pacote com o ”Bad”. Apesar de ter momentos inesquecíveis, o disco homenageado de hoje tem muita gordura e pouca inspiração, na minha visão. Ele infelizmente pecou pelos excessos e se fosse um disco mais enxuto, seria tão bom quanto os grandes de Michael, pelo menos eu enxergo dessa maneira. E você? Curte o ”Dangerous”? Conta pra gente e aproveite para reouvi-lo nos 30 anos do seu lançamento!

Autor: Neto Rocha

24 anos, e grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s