”The Lost Septet”: Um show ”perdido” de Miles Davis no auge da sua fase Fusion.

Artistas como John Coltrane e Miles Davis são do tipo que produziram muita coisa em vida e teoricamente já tiveram a sua obra revistada minuciosamente durante todas essas décadas, mas vira e mexe somos surpreendidos. Em 2018, fomos presenteados com um disco maravilhoso e que estava perdido nos arquivos, conhecemos o ”Both Directions At Once” de John Coltrane e recentemente, em 2020, tomamos conhecimento de outro maravilhoso registro ”The Lost Septet” do gênio Miles Davis, essa é a recomendação de hoje aqui no Entre Acordes!

Miles Davis
“Éramos tão intensos quanto qualquer banda de rock e tão barulhentos”. Gary Bartz

Esse disco é uma rara gravação ao vivo de Miles num show com seu septeto, Gary Bartz, Keith Jarrett, Michael Henderson, Ndugu Leon Chancler, James Mtume Foreman e Charles Don Alias, em 1971, e agora foi lançado pela gravadora ”Sleepy Night Records”. Essa foi uma turnê pela Europa que Miles fez em 1971, ele estava naquela fase Fusion do ”In A Silent Way” de 1969, ”Bitches Brew”de 1970, ”A Tribute To Jack Johnson” e ”Live Evil’ ‘de 1971.

O disco tem 1 hora e 44 minutos de duração e nos mostra interpretações nem um pouco palatáveis para fãs de primeira viajem, mas para os amantes do estilo Fusion, não vão encontrar nenhuma surpresa ruim, é uma verdadeira maravilha, no decorrer de todo o disco podemos ouvir temas complexos mas ao mesmo tempo líricos, Miles Davis está muito cirúrgico e essa apresentação foi considerada uma das se não a melhor de toda a turnê. O show foi transmitido por uma rádio e surpreendentemente o som que a gente ouve no Streaming é cristalino, chega a parecer um disco gravado em estúdio.

Eu recomendo fortemente ”The Lost Septet” para os fãs de Miles Davis e mais especificamente os fãs de Jazz Fusion em geral, tenho certeza de que não ficarão decepcionados, depois me contem o que acharam desse lançamento!

The Lost Septet

Autor: Neto Rocha

22 anos, atleta de futebol e grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

Deixe um comentário