”I Am The Blues”: Willie Dixon finalmente resgata de volta suas composições.

O Blues de Chicago talvez seja o mais popular subgênero do estilo, um dos nomes mais fortes e talvez mais importante dessa linhagem elétrica é Willie Dixon. Em 1970, ele lançou um seu principal disco ”I Am The Blues”. Vamos entender um pouco mais o porquê desse disco ser tão importante para o Blues.

Willie Dixon 1970

Lançado pela lendária Chess Records, o disco á primeira vista parece apenas um coletânea de covers aleatórios do blues, mas na verdade é ao contrário, são todas composições de Willie Dixon que ficaram conhecidas na voz de terceiros. “Back Door Man”, “Spoonful”, “I Ain’t Superstitious”, “The Little Red Rooster”, foram originalmente gravadas por Howlin ‘Wolf. A mesma coisa acontece com “You Shook Me” e “I’m Your Hoochie Coochie Man”, que ficaram conhecidas na voz de Muddy Waters. ”I Can’t Quit You Baby”, um dos maiores clássicos do Blues, que obteve releitura até do Led Zeppelin em seu disco de estreia. E por ai vai..

Oque eu acho mais legal nesse disco, além de seu repertório impecável é poder ver com esse background como Willie Dixon gostaria que suas composições fossem interpretadas. No geral sua versão não foge drásticamente das versões mais conhecidas porém ele aplica bem sua assinatura.

”I Am The Blues” é um disco perfeito para nos mostrar o mais alto nível que o Blues pode chegar em termos de composição raiz e ao mesmo tempo muito pop, todas as músicas são extremamente conhecidas e exaltam a real grandeza de Willie Dixon como compositor e intéprete do gênero. Um verdadeiro gênio, e por isso esse disco se encontra entre os mais importantes discos lançados no ano de 1970 e um dos mais importantes do Blues. Fica a recomendação!

I Am The Blues

Autor: Neto Rocha

22 anos, atleta de futebol e grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

Deixe um comentário