35 anos do ”Live Aid”: Um dos maiores festivais de todos os tempos.

Todos sabemos da importância e grandeza de muitos festivais emblemáticos, como o Newport Festival, Woodstock, Isle Of Wight e por ai vai. Outro festival extremamente importante dos anos 80 comemora exatos 35 anos hoje, estou falando do lendário Live Aid.

Live Aid Crowd.jpg

Após o lançamento do single beneficente ”Do They Know It’s Christmas?” em 1984, Bob Geldof e Midge Ure obtiveram um retorno financeiro muito acima do esperado (inicialmente 70 mil), eles conseguiram arrecadar £ 8 milhões, quebrando o recorde de singles mais vendido do Reino Unido em todos os tempos.

Embalados pelo sucesso do single, Bob Geldof e Midge Ure, conceberam o festival com a finalidade de arrecadar fundos para o combate á fome na Etiópia naquele período. O Live Aid aconteceu no dia 13 de Julho da seguinte maneira, dois shows ocorreriam simultaneamente, um em Londres no estádio de Wembley e o outro no USA (Filadélfia) mais precisamente no estádio John F. Kennedy. O público dos shows em totalidade fecharam em cerca de 72 mil pessoas em Londres e pouco mais de 89 mil pessoas na Filadélfia.

Uma coisa muito bacana que o Live Aid alcançou foi a maior audiência televisiva de todos os tempos, somando 1,9 bilhões de pessoas em 150 países, um número assustador de telespectadores, resultando numa grande atenção do mundo pela causa, gerando um total de £ 150 milhões em prol da caridade.

Depois de dar uma varrida na história por trás do festival, vamos acompanhar um pouco o conteúdo musical do evento e falar um pouco sobre o Lineup e algumas impressões sobre as apresentações. Primeiramente vou listar os horários respectivamente com o artista que se apresentou.

Horário/Artista:

12.02 Status Quo
12.19 Style Council
12.44 Boomtown Rats
13.00 Adam Ant
13.06 INXS (video de Melbourne)
13.16 Ultravox
13.34 Loudness (video de Japan)
13.47 Spandau Ballet
13.51 Bernard Watson
14.02 Joan Baez
14.07 Elvis Costello
14.10 The Hooters
14.15 Opus (video de Austria)
14.22 Nik Kershaw
14.32 The Four Tops
14.38 B.B. King (video de The Hague)
14.45 Billy Ocean
14.52 Black Sabbath
14.55 Sade
15.12 Run DMC
15.18 Sting
15.27 Rick Springfield
15.35 Phil Collins
15.45 REO Speedwagon
15.50 Howard Jones
15.58 Autograph (video de Moscow)
16.03 Bryan Ferry
16.15 Crosby, Still and Nash
16.24 Udo Lindenberg (video de Cologne)
16.26 Judas Priest
16.38 Paul Young / Alison Moyet
17.00 Linkup entre Wembley e JFK nos US
17.02 Bryan Adams
17.20 U2
17.40 The Beach Boys
18.00 Dire Straits and Sting
18.26 George Thorogood and the Destroyers / Bo Diddley / Albert Collins
18.44 Queen
19.03 David Bowie / Mick Jagger (video)
19.07 Simple Minds
19.22 David Bowie
19.41 The Pretenders
20.00 The Who
20.20 Santana / Pat Metheny
20.50 Elton John
20.57 Ashford and Simpson / Teddy Pendergrass
21.05 Elton John / Kiki Dee / Wham!
21.30 Madonna
21.48 Freddie Mercury / Brian May
21.51 Paul McCartney
21.54 McCartney / Bowie / Pete Townshend / Alison Moyet / Bob Geldof
21.56 UK finale from Wembley
22.14 Tom Petty
22.30 Kenny Loggins
22.49 The Cars
23.07 Neil Young
23.43 The Power Station
00.21 The Thompson Twins
00.39 Eric Clapton
01.04 Phil Collins
01.13 Robert Plant / Jimmy Page / John Paul Jones
01.47 Duran Duran
02.15 Patti LaBelle
02.50 Hall and Oates / Eddie Kendricks / David Ruffin
03.15 Mick Jagger
03.28 Mick Jagger / Tina Turner
03.39 Bob Dylan / Keith Richards / Ron Wood
03.55 US finale

Este slideshow necessita de JavaScript.

Não vou comentar cada uma das apresentações do festival, pois se eu fizesse isso precisaríamos de várias páginas para dissecar esse momento histórico. Mas já posso adiantar que para mim e para quase todo mundo a grande apresentação do Live Aid foi o Queen colocando tudo para o alto em pouco mais de 20 minutos. Infelizmente não tivemos shows completos das bandas, mas o Queen só precisou desses minutinhos para transcender a história e colocar sua apresentação como uma das maiores performances da história da música, com um setlist enxuto, matador e uma entrega sobrenatural de Freddie Mercury. Quando parecia que nenhum artista poderia prosseguir á altura após o Queen, o David Bowie subiu no palco ao som de ”TVC15” e manteve o ritmo, baita show também! Outros momentos bacanas são os shows de Phil Collins, Elton John, U2 e Dire Straits.

”Live Aid” talvez seja o festival mais importante de todos os tempos, no sentido de razões sociais. Em termos musicais ele é perfeito mas ainda assim não carrega o mesmo peso dos festivais dos anos 70 e 80 por conta do pioneirismo. Mas em termos humanitários em prol de uma causa nobre ele se tornou o maior por revolucionar a maneira de tratar esse tipo de causa e chamar os olhos do mundo para um problema que não tinha tanta voz no mainstream. Peguem o DVD e maratonem esse acontecimento em comemoração dos 35 anos do Live Aid!

Live Aid Ending

Autor: Neto Rocha

22 anos, atleta de futebol e grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

Deixe um comentário