20 anos de “Parachutes” – A linda estreia de uma das maiores bandas da década de 2000.

Já faz um bom tempo que o Coldplay se estabeleceu como uma das maiores bandas que surgiram nos anos 2000. Mas há exatos 20 anos atrás, a história era bem diferente. Se hoje o Coldplay é uma banda gigante, que arrasta multidões para lotar estádios em qualquer lugar do Planeta que receba os shows do grupo, há duas décadas atrás a coisa era bem distante disso, pois o Coldplay ainda era uma banda assim como milhares de outras por aí, que batalhavam duro para conquistar um lugar ao sol. E foi justamente nesse período que nasceu o primeiro disco do conjunto, batizado de “Parachutes”, e que exatamente hoje, está completando 20 anos de lançamento!

Musicalmente, o Coldplay surgiu trazendo na bagagem fortes influências de U2, Radiohead, The Beatles e praticamente de tudo o que foi feito no Britpop 90s. Ou seja, não era um som inovador, mas a qualidade e o alto nível de composições de Chris Martin e CIA, foram os fatores principais para o debut da banda ter sido tão bem recebido tanto pela crítica, tanto pelo público. E de fato, o disco é uma seleção de canções lindíssimas, muito bem escritas e produzidas, com uma certa melancolia cativante e repleta de muita beleza.

Desde a abertura com a excelente “Don’t Panic”, passando pelas maravilhosas “Shiver” e “Trouble” (minhas preferidas, por sinal), as mais “hipnóticas” como “Spies” e “High Speed” (essa carrega uma vibe meio Nick Drake/Radiohead total), e claro, a inesquecível, singela e mega hit “Yellow”, todas faixas belíssimas dotadas de uma sonoridade predominante acústica, melancólica e atmosférica, cuja paisagem sonora casa perfeitamente com as letras tristes ou esperançosas que permeiam por todo o disco.

Claro que aqui, ainda temos um Coldplay bem distinto do que conhecemos hoje. Uma banda bem menos experimental, sem os toques de sintetizadores e um pouco mais eletrônicos como seriam feitos em alguns álbuns posteriores. Aqui, a sonoridade é totalmente eletroacústica, com a formação básica de guitarra, baixo e bateria, com alguns pianos passeando com muito louvor por entre as músicas. “Parachutes” é um disco importantíssimo para os anos 2000, não só por ser a estreia daquela que provavelmente seja a maior banda surgida neste período, mas também por trazer toda uma carga sonora que viria a influenciar muita coisa do que se foi feito no cenário Pop/Rock Alternativo da década. Porém, 20 anos depois, o que ainda mantém “Parachutes” vivo na mente e no coração dos fãs, é a beleza profunda contida em seu ótimo repertório.

Autor: Felipe Silva

28 anos, paulista, corinthiano, e o mais importante, consumidor compulsivo de música! Rock, Soul, Funk, Blues, Jazz, MPB, que a música boa seja exaltada independente de gênero. God bless you all.

Deixe um comentário