90 Anos da Sutileza Jazzística de Ahmad Jamal

Hoje, completam-se os 90 anos de uma das mãos mais sutis e únicas da história do jazz: o lendário pianista Ahmad Jamal!

Natural de Pittsburgh, Pensilvânia, Frederick Russell Jones foi mais um dos inúmeros casos de progídios musicais, iniciando no Piano aos 3 anos de idade. Teve aulas com Mary Cardwell Dawson, que ficou conhecida por seu incrível trabalho de trazer a ópera para plateias afro-americanas. Muito influenciado por Erroll Garner, ele desenvolveu um estilo muito próprio, com pequenas sutilezas e um sublime uso dos espaços.

Em 1950, converte-se ao Islã e muda seu nome para Ahmad Jamal, e começa a realizar suas primeiras gravações com o que seria seu trio clássico. Na segunda metade dos anos 50 se consolida com grandes discos como “Count ‘Em 88” (1956) e, principalmente, o lendário show “At The Pershing: But Not For Me” (1958), que foi um sucesso estrondoso. Mas, apesar da popularidade, Ahmad sofreu de muitas críticas por seu som mais acessível e “Cool”, sendo chamado de “pianista de coquetel” pela revista Down Beat. Mas, ao mesmo tempo, recebia as graças de nomes como Miles Davis, que passou a gravar várias de suas canções.

“Quando as pessoas dizem que Jamal me influenciou muito, elas estão certas…”

Miles Davis

Da imensa e prolífica carreira discográfica de Jamal, destaco o incrível “Listen To The Ahmad Jamal Quintet” (1961), a viagem sônica e espiritual de “Freeflight” (1971) gravado ao vivo no Montreux Jazz Festival e “Live At The Montreal Jazz Festival 1985”. Afinal, é um verdadeiro privilégio poder celebrar os 90 anos dessa lenda viva do Jazz!

Autor: Caio Braguin

16 anos, baterista, aficionado por música (e todas as formas de arte) desde o berço. Música é minha vida!

Deixe um comentário