A Odisseia Pop Sofisticada de Paul Weller – 35 Anos de “Our Favorite Shop”

Paul Weller é, merecidamente, um artista recorrente por aqui. Seja como o líder do The Jam, ou sua primorosa carreira solo, muito bem representada por meu amigo Luke em seu texto dos 25 anos de “Stanley Road”, falar sobre o MODFATHER nunca é demais. Hoje, ponho os holofotes em mais uma de suas bandas magistrais, que muitas vezes é jogada pra escanteio: The Style Council.

Projeto de Weller com o tecladista Mick Talbot (Dexys Midnight Runners, The Bureau), a banda faz o creme mais sofisticado do Pop oitentista, com a toda a classe que se espera desses dois. Suas estreia com o sensacional “Café Bleu” (1984), catapultado pelo hit “My Ever Changing Moods” já havia mostrado ao que vieram, mas foi em “Our Favorite Shop” que, ao meu ver, eles atingiram sua obra-prima. Hoje, essa pérola Pop completa 35 anos!

O Pop por aqui é feito com a mais pura excelência jazzística. Seja nas sofisticadíssimas guitarras e vocais cheios de alma de Weller (que também conta com um time incrível de vocalistas convidados, como a deslumbrante Dee C. Lee), as teclas perfeitamente pontuadas de Talbot, até os arranjos de metais/cordas que são simplesmente magníficos. A cadência deliciosa de “Come To Milton Keynes”, a perfeição Pop de “Boy Who Cried Wolf” (minha favorita do álbum) ou a maravilha orquestral “A Stones Throw Away”, são tantas faixas marcantes que é impossível listar as virtudes de cada uma, só lhes digo que é pura finesse!

A banda também explora uma dicotomia interessantíssima, de fazer o Pop para criticar o Pop. Afinal, apesar de uma sonoridade sofisticada e altamente jazzística, as letras por aqui são mais abertamente politizadas do que toda a energia raivosa e Punk do The Jam, se opondo ao status quo da ascenção conservadora que o Reino Unido vivia na Era Thatcher. Assim, eles basicamente “cantam a revolução” da maneira mais suave possível, seja na pegada Soul irresistível de “The Lodgers” (que voz tem Dee C. Lee!), o suingue altamente latino de “All Gone Away” ou o grande hit revolucionário “Walls Come Tumbling Down”, que fecha o disco de forma acachapante, chegando a lembrar a energia do The Jam.

Se ainda havia alguma dúvida da versatilidade de Paul Weller, “Our Favorite Shop” a esclarece com louvor. Mergulhando de cabeça na sofisticação oitentista, ele nos entrega mais um trabalho espetacular, e que segue nas prateleiras de “nossa loja favorita”!

Anúncios

Autor: Caio Braguin

16 anos, baterista, aficionado por música (e todas as formas de arte) desde o berço. Música é minha vida!

Deixe um comentário