The Changingman! 25 anos do maravilhoso Stanley Road.

É natural que, num mundo tão vasto como a música, nem todos os artistas ou bandas tenham o reconhecimento condizente com o seu potencial e seu trabalho. Claro que a subjetividade está presente neste tipo de situação, o que é excelente para uns, pode ser comum ou desagradável a outros. Porém, se tratando de PAUL WELLER, é difícil não ser fisgado pelo seu som; o cuidado com o qual ele despende em seus discos, desde a estética, da temática e, é claro, das músicas em si.

O ex-vocalista do The Jam e Style Council, conhecido como The Modfather, pertence ao grupo dos ”artistas de estilos indecifráveis”, tais quais Robert Plant, David Bowie, Iggy Pop, Peter Gabriel etc. Aí você deve estar, indignado, me perguntando: ”Pô, você está comparando Paul Weller com esses caras?” – De certa forma, sim! Não em nome, tamanho, tampouco em representatividade para a música; no entanto, comparo com a preocupação em fazer dos seus discos muito mais do que apenas um objeto a mais na instante da sua mente, ele é capaz de te fazer embarcar numa viagem sonora tão ampla que é difícil você não se sentir tocado pelas suas músicas.

Outro ponto a ser destacado é a precisão; desafio vocês a me apontarem um disco fraco deste rapaz – depois, claro, de ter tido contato com sua obra. Naturalmente, terão discos melhores que outros, mas Weller não joga pra perder; se ele lançar um disco, pode ter certeza que ele tem algo de muito relevante a te dizer e mostrar. Digo, sem nenhum medo de errar, que ele tem uma das carreiras solo mais instigantes e aprazíveis dentre todos os artistas que saíram de suas bandas e tornaram-se trovadores solitários.

PW2

Depois desta longa tentativa de convencimento, apresento-lhes STANLEY ROAD, terceiro disco da carreira de Weller e que completa 25 anos hoje. Esse é daqueles álbuns que chamamos de perfeito; não consigo dizer um momento fraco ou inócuo em Stanley Road, a única coisa que você vai encontrar aqui é inspiração em altíssima escala. Temos participações especiais de ninguém mais ninguém menos que Steve Winwood (Traffic, Blind Faith) e de Noel Gallagher (Oasis).

A capa de Stanley Road foi desenhada por Peter Blake, o responsável pela capa de um disquinho aí chamado Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band, de uma banda chamada Beatles – não sei sem conhecem. Não destacarei nenhuma música, pois seria injusto com as outras que não forem citadas; basta que saibam tratar-se de um disco irretocável, capaz de te fazer ter diversos sentimentos ao escutar: Momentos dançantes, melancólicos, reflexivos… 52 minutos que podem agregar demais ao seu currículo musical. Audição mais do que obrigatória!

A text by @lukaspiloto7twister

Anúncios

Autor: Luc Rhoads

Um grande apaixonado por música e aventuras. Carioca, estudante de Educação Física, professor de inglês e vascaíno doente.

Deixe um comentário