Um Shaman mais Pesado e Sombrio – 15 Anos de “Reason”

Após estrear com o pé na porta em “Ritual” (2002), que é simplesmente um dos maiores discos do Metal Nacional, o Shaman estava no auge. Para uma tão esperada sequência, Andre Matos, Ricardo Confessori, Luís e Hugo Mariutti se reuniram novamente para o que seria o último disco da banda com a formação original. Mais do que isso, o disco apresenta uma sonoridade bem diferente, mais pesado e sombrio do que nunca. Há exatos 15 anos, vinha ao mundo o incompreendido “Reason”!

Essa mudança na sonoridade já fica bem evidente na abertura “Turn Away”, com riffs pesadíssimos de Hugo Mariutti, enquanto Andre usa sua voz mais rasgada, e sempre sensacional. O Power Metal acelerado de outrora da lugar a um som mais cadenciado, soturno e com uma forte influência gótica, escancarada no cover do Sisters Of Mercy “More”, em momentos que chegam a lembrar bandas como o Paradise Lost, na excelente faixa título, ou a grandiosa “Scarred Forever”. “Rough Stone” é outro grande destaque, com um certo ar oriental, enquanto “Trail Of Tears” é o mais próximo de “Ritual” que temos por aqui, uma pérola melódica do mais alto quilate, onde Andre atinge seus agudos sobre-humanos.

“Innocence” é a grande balada do disco, que foi escolhida como single, guiada por um piano tocado magistralmente e, é claro, uma performance arrebatadora de Andre, que fecha o disco com chave de ouro em “Born To Be”, uma balada que ganha contornos de peso.

Esses novos caminhos de “Reason” foram recebidos com certa estranheza, mas o teste do tempo só prova que é um grande disco, e merece uma audição com a mente aberta. Por fim, celebremos os 15 anos de mais uma obra sensacional de nosso eterno maestro!

Anúncios

Autor: Caio Braguin

16 anos, baterista, aficionado por música (e todas as formas de arte) desde o berço. Música é minha vida!

2 pensamentos

  1. Grande texto meu brother, eu gosto muito, acho um álbum fantástico, mesmo flertando com outros elementos.

Deixe um comentário