Acoustic and Kicking: O esplendoroso disco acústico do Simple Minds.

Não sei vocês, mas eu, quando era mais novo, ouvia algumas músicas na casa da minha avó e mantinha-me indiferente, por vezes até desdenhava ou reclamava da música por me ”sentir na obrigação” de não gostar como uma forma de respeito e fidelidade ao Rock – coisas de criança tola e ingênua no seu auge do fanatismo pelo ROCK PAULERA.

Prince, Carole King, Bee Gees, Earth Wind and Fire, Madonna entre vários outros grandes nomes da música me faziam cantarolar e me exaltar internamente, porém, por fora, a cara de desaprovação e as frases prontas de que ”isso é uma merda” permaneciam impávidas. Até que a – como diria Immanuel Kant – maioridade intelectual fez-me perceber que eu estava sendo um perfeito bobalhão e passei, assumidamente, a ouvir e a correr atrás destes artistas que tanto me fizeram ser um prisioneiro de mim mesmo. O Rock não ficou chateado comigo, eu o continuei amando, e descobri que havia espaço para outras paixões.

O SIMPLE MINDS é uma dessas bandas. Era até difícil disfarçar a expressão facial quando começava a tocar o Live In The City Of Light, disco ao vivo, de 1987, gravado em Paris. Aquela capa preta imponente e belíssima me chamava a atenção; as músicas causavam-me ingente regozijo ao ponto de me sentir na Cidade da Luz no dia exato daquele antológico show. Músicas como ”Santify Yourself”, ”Alive and Kicking”, Someone, Somewhere in Summertime”,  Promised You a Miracle” e é, claro, a clássica ”Don’t You (Forget About Me) faziam o pequeno Lucas se sentir mal por não poder demonstrar o quanto ele adorava aquilo. Até que um belo dia as correntes foram rompidas e a luz vinda da Cidade Luz clareou todo aquele mundo formado apenas por cor escura.

SM4

E por que estou falando tudo isso, vocês devem estar se perguntando; a resposta é simples: Hoje, NA PRIMEIRA PRATELEIRA do Entre Acordes, está o ACOUSTIC, disco, como o próprio nome sugere, acústico desta banda escocesa maravilhosa que vos estava relatando, lançado em 2016. Simple Minds é uma das minhas bandas favoritas dos anos 80 e quando ouvi esse acústico eu fiquei embasbacado, tamanha é a qualidade das músicas. Você pode dançar tranquilamente, pois a pegada e a levada agitada do grupo está intacta. Todas as faixas que citei acima estão neste disco em versões maravilhosas, e ainda acrescento ”New Gold Dream” e ”Waterfront”, outras duas músicas que idolatro.

Aproveito o espaço aqui para dar uma leve ”roubada”; caso este disco seja do seu agrado (torço muito para que sim), façam uma mini maratona Simple Minds e ouçam o disco mais recente da banda Walk Between Worlds, lançado em 2018; também é um ótimo álbum. Espero também que nenhum de vocês sofra daquela ”prisão auto-imposta” que tanto me fez amar escondido. Há espaço para tudo! O Rock, o Pop, o Reggae, o Jazz, o Soul. o Eletrônico… música boa nunca é demais, isso eu posso lhes garantir.

A text by @lukaspiloto7twister

Autor: Luc Rhoads

Um grande apaixonado por música e aventuras. Carioca, estudante de Educação Física, professor de inglês e vascaíno doente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s