“Infinitos Encontros” – Julie Wein lança um dos discos mais lindos da música brasileira nos últimos anos!

Diferente do que muitos pensam, a música brasileira vive um período de muita qualidade e criatividade, extremamente rico e fértil. Nossa maravilhosa e histórica cultura, permite que novos artistas com muito talento surjam e nos tragam grandes e emocionantes obras. Uma dessas lindas obras que o “Entre Acordes” gentilmente me reserva um espaço para destacar, é um lindo disco batizado como “Infinitos Encontros”, da maravilhosa cantora Julie Wein, da qual terei o maior prazer em lhes recomendar hoje por meio das maus traçadas linhas deste texto.

Julie Wein é uma cantora e compositora nascida em Curitiba, vinda de um lar familiar muito envolvida com arte em geral. Isso despertou nela uma paixão ardente pela música, que já bem cedo, começou a cantar e a tocar piano, sendo muito influenciada por música erudita e MPB.

Em 2020, ela surge presenteando nossos ouvidos com seu álbum de estreia, que traz uma musicalidade linda, profunda e sofisticada de uma forma brilhante, da qual há tempos eu não ouvia na música brasileira. Me senti extremamente tocado por “pequenas” pérolas como “Trânsito de Marte”, “Beiral da Porta”, “Mar Demais” e “Beijo da Noite” (esta última com participação do mestre Ed Motta), todas dotadas de uma beleza harmônica/melódica incrível, lindos e ricos arranjos de cordas e piano e a beleza candura da voz linda e aveludada de Julie, que faz com que as músicas ganhem uma profunda e tocante sensibilidade. No total, são oito faixas, todas elas compostas por Julie, sendo quatro em parcerias.

Se você ama música brasileira no estilo de Nara Leão, Nana Caymmi, Leila Pinheiro e Elis Regina, saiba que “Infinitos Encontros” é o álbum perfeito para você. Mesmo se tratando de um lançamento, soa maravilhosamente como um disco clássico e um verdadeiro acalanto para as nossas almas nestes difíceis tempos da qual estamos passando. Que grande presente a música brasileira ganha com o surgimento de Julie Wein, que ela possa continuar nos trazendo obras tão doces e singelas como “Infinitos Encontros”.

Autor: Felipe Silva

28 anos, paulista, corinthiano, e o mais importante, consumidor compulsivo de música! Rock, Soul, Funk, Blues, Jazz, MPB, que a música boa seja exaltada independente de gênero. God bless you all.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s