A Injeção Pop Indefectível de Rina Sawayama

Bata no liquidificador Madonna, Britney Spears, Beyoncé e… Limp Bizkit? A mais grata surpresa desse ano, Rina Sawayama entrega em seu disco de estreia um Pop vibrante e irresistível, sob o nome “SAWAYAMA“!

A artista de origem nipo-britânica (mistura cultural que geralmente traz resultados maravilhosos, vide o trio de Indie Pop Kero Kero Bonito) vem lançando singles esporádicos desde o início da década passada, além de um sensacional EP independente em 2017, mas só fui tomar conhecimento há poucos dias, em minhas andanças pelos lançamentos semanais. A surpresa foi imediata!

O disco é essencialmente pessoal, onde Rina lida com seus conflitantes traços culturais, problemas familiares, e, acima de tudo, identidade. Essa força já é evidente na grandiosa abertura “Dynasty” que clama “A dor em minha veia é hereditária”, sob a produção luxuosa de seu parceiro musical Clarence Clarity.

Grande parte do brilho do disco está na naturalidade em que os contrastes funcionam. O delicioso Pop noventista satirizando os excessos capitalistas de “XS” não é alheio a intensos breaks de guitarra, e a voz doce de Rina não soa nada estranha na base essencialmente New Metal do single “STFU!”, uma das canções mais Rock ‘n’ Roll do ano, onde ela esbraveja contra os insultos racistas que enfrentou durante toda a vida. Esse intercâmbio de estilos nos traz ainda a pérola Arena Rock de “Who’s Gonna Save U Now”, meticulosamente arquitetada para ecoar em grandes estádios.

O álbum também é um festival de refrãos Pop absurdamente pegajosos. “Comme Des Garçons (Like The Boys)” parece projetada para as pistas de dança do início dos anos 2000, e canções como a fortemente étnica “Akasaka Sad”, a doçura adolescente de “Paradisin'” e a melodiosa “Bad Friend” são cheias de camadas, playgrounds para a produção de Clarence, que dá cor e forma a esses contos nostálgicos a autobiográficos. O destaque final vai para a belíssima balada “Chosen Family”, destinada a seus irmãos e irmãs da comunidade LGBTQ, e que evidencia a beleza incrível da voz de Rina.

Sawayama” dá uma injeção de energia e criatividade no Pop, trazendo novos ares a sons que já conhecemos com uma maturidade incrível. Pelo andar da carruagem, temos uma nova estrela!

Autor: Caio Braguin

16 anos, baterista, aficionado por música (e todas as formas de arte) desde o berço. Música é minha vida!

Deixe um comentário