40 Anos de “British Steel” – A Consagração dos Metal Gods

Como se já não bastasse a estreia do Iron Maiden, o dia 14 de abril de 1980 nos reserva ainda mais uma efeméride espetacular. Simplesmente um dos maiores discos da história do Metal, “British Steel” completa hoje 40 anos!

Enquanto as bandas da NWOBHM estreavam, o Judas Priest já era a encarnação do Metal. Desde Killing Machine (1978) a banda já mostrava uma veia mais comercial, mas aqui isso é levado ao extremo. Agora com a solidez de Dave Holland na batera, eles apararam as arestas de sua sonoridade. Ou seja, nada daqueles épicos quase progressivos, passagens instrumentais ou produções megalomaníacas, o que temos aqui é um som conciso, simples e, acima de tudo, uma aula de Heavy Metal.

Pra começar, um álbum que tem “Living After Midnight” e “Breaking The Law” está longe de ser comum. Dois dos maiores hinos da história do Metal, que mostram um som direto e reto, com uma consciência Pop absurda. Refrãos pegajosos também não faltam em pérolas como “United”, quase um hino de torcida a ser cantado pelas massas.

Os riffs e solos matadores de “Rapid Fire”, “Grinder” e “You Don’t Have to Be Old to Be Wise” mostram o poder das guitarras harmonizadas de Glenn Tipton/K. K. Downing, afiadíssimos como sempre. Há até espaço para um pouco de Groove na intro da densa “The Rage”, a canção que mais lembra os trabalhos anteriores da banda.

Como esperado, “British Steel” foi um grande sucesso, que ergueu o Judas Priest ao mais alto posto do Metal. Mas, o que mais me chama atenção é sua atemporalidade. 40 anos depois, o disco ainda soa como o tilintar do mais puro aço britânico!

Autor: Caio Braguin

16 anos, baterista, aficionado por música (e todas as formas de arte) desde o berço. Música é minha vida!

3 pensamentos

  1. Meu disco preferido do ano de 1980 hoje é um quarentão! Minha banda preferida do heavy metal foi e sempre será o Judas Priest, e foi com “British Steel” que comecei a gostar do som dos caras há quase dez anos atrás, quando comecei a vasculhar a obra deles. Não é a toa que este é um ano muito especial para o Priest, porque além deste aniversário de 40 anos do álbum que consagrou de vez a banda em todo o mundo, um outro disco dos Metal Gods faz aniversário em 2020: 3 de setembro será o aniversário de 30 anos de “Painkiller”, um trabalho muito diferente de British Steel se for comparado mais pelo lado musical. Mas isso é outra história… Por enquanto, vamos festejar em alto e bom som as quatro décadas deste trabalho que marcou definitivamente a história do heavy metal. OBRIGADO, JUDAS PRIEST! PARABÉNS, BRITISH STEEL!

    1. Foi minha porta de entrada pra banda também, clássico! Painkiller com certeza vai ser homenageado por aqui também. Abraço!

      1. Dois grandes clássicos do Judas com certeza. Cada um em sua época! Mando-te outro abração, parceiro!

Deixe um comentário