45 anos de ”Jamaica Say You Will”: Um disco diferente de Joe Cocker.

Há exatos 45 anos, o nosso admirável Joe Cocker uma das vozes mais espetaculares da música mundial lançava o seu quarto álbum de estúdio. Apesar de não ter a força dos seus álbuns anteriores. O Entre Acordes usou desse aniversário gracioso para te presentear com uma grata surpresa.

O disco “Jamaica Say You Will”, talvez não pareça tão novo. Você pode ter escutado algo similar ou algumas coisas desse álbum. Ele faz parte de algumas sobras do álbum anterior o “I Can’t Stand a Little Rain”. Porém, ele não está focado somente na voz maravilhosa de joe Cocker, temos acompanhamentos dignos de pratos principais. O sax tenor maravilhoso de Bobby Keys que, tocou com os Stones, George Harrison, Clapton e Lynyrd Skynyrd. Esse currículo colocaria inveja em muitos. Mas você não espera que, o guitarrista Henry McCullough (ex Wings e Spooky Tooth) estivesse nessa orquestra.
O meu destaque está no som do piano de Richard Tee que, tocou com Paul Simon, Bee Gees e Quincy Jones. Preciso dizer que esse time tem outro pianista: Nicky Hopkins que tocou com the who, Stones e kinks. Temos na bateria Bernard Purdie que tocou com Jeff Beck, Cat Stevie e Miles Davis.

Joe Cocker 1975

A sonoridade absurda gospel misturada com a força da voz de Joe Cocker ganha força em cada faixa que você se permiti passar. A poderosa “Where Am I Now” que, tem uma pegada gospel alucinante. Depois de pagar seus pecados por não ter escutado essa maravilha antes, você entrará nessa onda com “Lucinda” com uma
Gaita e um blues folk com direito a pezinho marcando o tempo e tudo. Eu não posso negar que estou fazendo um encontro com a cultura do blues, jazz e do folk nesse disco. Você está sendo envolvido pela orquestra poderosa de Joe Cocker.

Caso ainda não tenha entendido essa ficha técnica está além desse simples disco. Quero te convidar para algo novo e sofisticado, maturado há exatos 45 anos. Aprecie com moderação!

Jamaica Say You Will Album Cover.jpg

 

Autor: lusquinhos87

Eu queria ter uma bomba, um flit paralisante qualquer. Pra poder me livrar do prático efeito. Das tuas frases feitas, das tuas noites perfeitas

Nenhum pensamento

Deixe um comentário