Legalize Já! – 25 Anos de “Usuário”

Os anos 90 foram um período muito fértil para o Rock Brasileiro. Tínhamos o suíngue Recifense do Manguebeat, o divertidíssimo “Forrócore” dos Raimundos, as bandas oitentistas lançando trabalhos sensacionais, tudo ao mesmo tempo agora. Em 1995, os cariocas do Planet Hemp deram mais uma chacoalhada na cena, com sua mescla autodenominada de Raprockandrollpsicodeliahardcoreragga, e um tema central um tanto quanto espinhoso: a maconha, num tapa na cara no velho conceito de “moral e bons costumes”. Há exatos 25 anos, vinha ao mundo o sugestivo e icônico “Usuário”!

Quando se fala no Planet Hemp, há de se ter cuidado para não cair no reducionismo. Claro, eles deixam claro sua luta pela legalização da erva nas letras, foram perseguidos pela polícia (nada mudou…), mas há muito mais do que revolta juvenil no som da banda, e eles tocam em muitos temas sociais que são relevantes até os dias de hoje. E, melhor ainda, fazem comentários com o maior bom-humor carioca. Os Raps de Marcelo D2 e BNegão em Porradas como “Fazendo A Sua Cabeça”, “Futuro do País” e “Porcos Fardados” são anárquicos, contra todas as autoridades que tanto reprimiam (e reprimem) a juventude naquele período incerto da nação.

O disco é praticamente uma coletânea. A começar com o maior clássico da banda, “Mantenha o Respeito”, com um refrão impossível de não grudar na cabeça, o hino pró-legalização “Legalize Já” e “Dig Dig Dig (Hempa)”, de uma visceralidade que movia multidões com uma mensagem de conscientização. Há ainda outros petardos como os riffs dilacerantes de “Phunky Buddha” e “Muthafuckin’ Racists” e o Hardcore franco e porrada de “Mary Jane” e “Bala Perdida”.

“Usuário” é, sem dúvidas, o disco mais importante do Planet Hemp, um verdadeiro clássico que continua influente depois de 25 anos. Com toneladas de atitude, a “Ex-quadrilha da Fumaça” chegou com os dois pés na porta com seu Raprockandrollpsicodeliahardcoreragga!

Anúncios

Autor: Caio Braguin

16 anos, baterista, aficionado por música (e todas as formas de arte) desde o berço. Música é minha vida!

Deixe um comentário