20 Anos de "Two Against Nature" – O Retorno Triunfal do Steely Dan

Em 2000, os 20 anos de espera dos fãs do Steely Dan acabaram. Afinal, desde “Gaucho” (1980) a dupla de Donald Fagen e Walter Becker não lançava um novo disco, apesar de sua volta aos palcos em 1995. E o retorno não poderia vir em melhor estilo, com o espetacular e multipremiado “Two Against Nature”!

O mais delicioso sobre o álbum é ser uma reunião de amigos, acima de artistas. Eles voltaram pela saudade de trabalhar juntos, compor meticulosamente as canções e arranjos, enfiar suas piadas internas e pequenos contos maliciosos nas letras das canções. Essa leveza transparece em todo o disco.

O que, de cara, me impressiona aqui é a produção. Desde o groove maravilhoso de “Gaslighting Abbie”, a sonoridade é moderna e absurdamente cristalina, graças à mão do lendário engenheiro de som Roger Nichols “The Immortal” (R.I.P). As persianas sonoras do Fender Rhodes de Fagen soam precisas como nunca nas melodias jazzísticas de “What A Shame About Me” e a faixa-título “Two Against Nature”.

“Jack Of Speed” é o momento mais pegajoso do álbum, com uma linha de metais marcante que cria um clássico instantâneo, enquanto o grande single “Cousin Dupree”, com seu ritmo pulsante e letra sacana, é uma maravilha Pop com a classe e bom humor habitual do Steely Dan. A derradeira “West of Hollywood” é um longo e espetacular adeus, com solos insanos de Becker (um guitar hero sutil!) e do sax tenor de Chris Potter.

“Two Against Nature” está, sem dúvidas, entre os grandes discos do Steely Dan. Um retorno em ótima forma, que rendeu à dupla 4 Grammys (inclusive de álbum do ano!). A nostalgia pode sim soar atemporal, e, 20 anos depois, temos certeza que estamos diante de um clássico moderno!

Autor: Caio Braguin

16 anos, baterista, aficionado por música (e todas as formas de arte) desde o berço. Música é minha vida!

Deixe um comentário