O Blues Encarnado de B.B. King – 55 Anos de “Live At The Regal”

O que é o Blues? Se existe uma resposta para tal questão, não deve estar muito longe de B.B. King e sua inseparável Lucille. Quando a lenda pisava num palco, a certeza era de uma performance antológica. Não é diferente com o nosso aniversariante de hoje, que é, discutivelmente, o melhor trabalho de sua carreira. É claro que estamos falando do divisor de águas “Live At The Regal”!

Gravado em 1964 no Regal Theater, a meca do público afro-americano em Chicago, com uma banda estelar (destaque para os brilhantes saxofones de Bobby Forte e Johnny Board), o disco exala descontração, feeling, enfim, BLUES, em performances impressionantes de clássicos.

Desde a introdução com o explosivo Shuffle de “Everyday I Have The Blues”, ao Groove lento e delicioso de “Sweet Little Angel”, King nos presenteia com seu fraseado espetacular, seu bends de derreter mentes, e uma habilidade ímpar como entertainer, interagindo de maneira divertidíssima com a plateia, que garante uma atmosfera incrível. E o grupo, é claro, corresponde à altura, com maravilhas dançantes como “Please Love Me” e nos metais flamejantes de “Woke Up This Mornin'”.

Se nas canções mais Uptempo vemos um trabalho incrível de toda a banda, é na sutileza de clássicos como “How Blue Can You Get?”, “You Done Lost Your Good Thing Now”, ou na minha favorita, “Worry, Worry”, que a alma de King realmente escorre pelos falantes. Com jams sensacionais, entregando solos maravilhosos e vocais trovejantes, King verdadeiramente encarna o Blues!

“Live At The Regal” é uma das obras-primas de B.B. King. Citado como influência por nomes do calibre de Eric Clapton e Mark Knopfler, é discoteca básica para qualquer um que queira entender verdadeiramente o Blues. E nada melhor do que começar pelo Rei!

Autor: Caio Braguin

16 anos, baterista, aficionado por música (e todas as formas de arte) desde o berço. Música é minha vida!

Deixe um comentário