45 anos de “Red Headed Stranger” – A conceitual obra Country de Willie Nelson

Confesso que nunca fui um fã ferrenho de Willie Nelson. Apesar de sempre adorar Música Country, e ter uma certa admiração pela figura de Nelson, nunca havia despertado em mim um interesse profundo em querer conhecer mais de sua obra.

Durante o período do início da minha adolescência até o início da vida adulta (quando me encontrava em um período com uma curiosidade muito fértil e insaciável de sempre querer descobrir mais coisas sobre música) me fui apresentado ao maravilhoso disco “Red Headed Stranger”, uns dos álbuns que abririam minha mente de forma definitiva para a Country Music, e que hoje, está completando 45 anos de lançamento!

Gravado em uma época em que os discos Country de sucesso vinham embebidos em arranjos de cordas grandiosos, a instrumentação de “Red Headed Stranger” é bem simples, contando basicamente com violão, piano e gaita. Mas por outro lado, o álbum apresentava um certo quê de experimentalismo para o gênero, pois se trata de um disco conceitual sobre as aventuras de um assassino mal-amado, com Nelson usando uma narrativa de Velho Oeste em lindas e marcantes melodias.

Difícil e até inútil destacar faixas soltas dentro de uma obra tão perfeitamente coesa. Antes do lançamento deste LP, Nelson já era um veterano, e considerado um bom músico e compositor, mas foi com o grande sucesso de “Red Headed Stranger”, que ele se tornou uma super estrela do Country e que viria a se tornar uma verdadeira lenda. Willie Nelson com muito bom gosto e genialidade, com este álbum, provou que os registros conceituais não eram exclusivamente de domínio do Rock, e de forma brilhante, estabeleceu uma incrível inovação dentro da Country Music, fazendo “Red Headed Stranger” ser aclamado e reconhecido até hoje, como uma clássica e obrigatória discoteca básica deste maravilhoso gênero musical.

Anúncios

Autor: Felipe Silva

28 anos, paulista, corinthiano, e o mais importante, consumidor compulsivo de música! Rock, Soul, Funk, Blues, Jazz, MPB, que a música boa seja exaltada independente de gênero. God bless you all.

Deixe um comentário