35 anos do delicioso Pop oitentista de Mick Jagger em “She’s The Boss”

Após o fracasso do disco “Undercover” (1983) dos Rolling Stones, e a relação com Keith Richards estar cada vez mais conturbada, Mick Jagger decide partir para uma carreira solo que há tempos ele já considerava. E é justamente sobre a estreia dele fora dos Stones que o “Entre Acordes” liga os motores e acelera com o chefe!

Sem perder tempo e com um time de músicos de causar inveja em qualquer artista – Jeff Beck, Pete Townshend, Carlos Alomar, Herbie Hancock etc. Jagger mergulha de cabeça no Pop dos anos 80 e lança o maravilhoso “SHE’S THE BOSS” (1985), que hoje completa 35 anos. O disco possui pérolas como ”Lonely At The Top”, ”1/2 a Loaf”, ”Turn The Girl Loose” – com clara influência do Police – a belíssima balada ”Hard Woman”, entre outras. O single deste disco foi ”Just Another Night’,’ que atingiu o primeiro lugar na parada americana e capitaneou o lançamento do disco.

Outras curiosidades interessantes são: O clip de ”Hard Woman” é até hoje um dos vídeo clipes mais caros já feitos, por conta da utilização de um equipamento de primeira linha para criar as animações do vídeo. Agora a BOMBA! Keith Richards, talvez por recalque pelo sucesso do colega, disse em sua autobiografia “LIFE”, que o sucesso de “She’s The Boss” foi similar ao “Mein Kampf”, (livro escrito por Adolf Hitler enquanto esteve na cadeia) porque todos tinham uma cópia mas ninguém ouvia. Se é verdade ou não, não saberemos, o fato é que o disco foi um sucesso instantâneo, ao ponto de Jagger ser convidado para tocar no Live Aid, no qual ele faz uma aparição junto com David Bowie cantando ”Dancing In The Street”. Se você não ouviu este disco, prepare a vitrola, coloque a agulha e garanto que sairá dançando pela sua sala enquanto o escuta!

Autor: Felipe Silva

28 anos, paulista, corinthiano, e o mais importante, consumidor compulsivo de música! Rock, Soul, Funk, Blues, Jazz, MPB, que a música boa seja exaltada independente de gênero. God bless you all.

Deixe um comentário