Hell Awaits: 35 anos de uma obra esquecida do Slayer

Após sua estréia com Show No Mercy, o Slayer começou a ganhar uma grande fanbase, com seus temas tão explicitamente satânicos e maldosos quanto podem ser, e som tão extremo quanto poderia ser. Em 1986, lançou um dos discos fundamentais do metal extremo, Reign In Blood, os consolidando como uma das grandes bandas de metal de todos os tempos, e começando uma sequência de obras-primas. Mas o que está entre estes dois marcos é geralmente, e muito injustamente esquecido. Falamos do irmão mais novo de Reign In Blood, o maravilhoso Hell Awaits.

Falamos de um disco que representou evolução para a banda, com Tom Araya partindo para vocais mais profundos, Kerry King e Jeff Hanneman escrevendo riffs melhores e mais pesados, e Dave Lombardo tocando cada vez mais bateria. As músicas do disco são longas, de certa maneira até progressivas (vide Crypts of Eternity) e fazem com que o disco tenha sua própria atmosfera dentro do momento da banda. Em termos de letras, vimos a grande influência do Slayer para as tantas bandas de Death, Black Metal e seus respectivos sub-gêneros até hoje: descrições aterroziantes altamente detalhadas do inferno, necrofilia e assasinatos em massa.

Falando sobre as músicas em si, é difícil destacar uma vez que temos 7 músicas todas muito fortes, maestrais porradas na cara até do headbanger mais experiente. No entanto At Dawn They Sleep, Praise of Death e Crypts of Eternity podem ficar com o cargo de estrelas do disco. Hell Awaits grande obra do Thrash Metal, mas que assim como tantos discos do gênero sofreu com má produção, e foi deixado de lado dentro da obra maravilhosa do Slayer, e uma grande obra que hoje completa 35 anos.

Anúncios

Autor: allanfranzner

Guitarrista, amante e entusiasta da música, principalmente do rock n' roll!

Deixe um comentário