Live: A excelente banda noventista que merece ser revisitada

Hoje o “Entre Acordes” reserva um espaço para falar de uma ótima banda surgida nos anos 90, e que por aquele período conseguiu alcançar um grande sucesso até o fim desta mesma década ao início da seguinte, graças também ao grande incentivo recebido pela gigante MTV da época, que fez com que o grupo investisse pesado nos videoclipes. Infelizmente, a popularidade da banda caiu nos últimos tempos, mas ainda conseguiram manter-se na ativa até hoje graças a um público muito fiel que conseguiram estabelecer em seu auge. O grupo da qual que eu me refiro se chama Live, liderada pelo grande vocalista e principal compositor Ed Kowalczyk, e formada também pelo guitarrista Chad Taylor, o baixista Patrick Dahlheimer, e o baterista Chad Gracey.

O som da banda é bem pegado e direcionado pelo Rock Alternativo, Funk Rock, Grunge, com alguns elementos de Hard Rock, e suas principais influências vem de bandas como REM, Midnight Oil e Pearl Jam. As composições são simples, mas ao mesmo tempo belas e bem elaboradas dentro de seu estilo, com letras tocantes, melodias marcantes, e refrãos grudentos. Na sonoridade, encontramos guitarras bem equilibradas entre peso, distorção e frases melódicas, acompanhadas por fortes e groovadas linhas de baixo. O grande destaque é a voz de Ed, com interpretações/performances vocais muito intensas com sua voz rasgada, potente, porém suave na medida certa quando precisa ser.

Seus principais hits são “Pain Lies On The Riverside”, “Selling The Drama”, “I Alone”, “Lightning Crashes”, “Ghost”, “Dolphin’s Cry”, entre outros. Deixos-lhes de recomendação, a principal sequência de discos da carreira da banda que contém todos esses grandes sucessos citados anteriormente: “Mental Jewelry”, (estreia do grupo, 1991) “Throwing Copper”, (1994) “Secret Samadhi”, (1997) e “The Distance to Here” (1999).

Para quem não conhece, vale a pena reservar um tempo de audição para uma das mais bacanas e subestimadas bandas dos anos 1990.

Autor: Felipe Silva

28 anos, paulista, corinthiano, e o mais importante, consumidor compulsivo de música! Rock, Soul, Funk, Blues, Jazz, MPB, que a música boa seja exaltada independente de gênero. God bless you all.

Deixe um comentário