O Novo Synthpop do No-Man

Steven Wilson pode ser considerado o grande nome do Prog Moderno (e não só do Prog!). Mais conhecido como líder do Porcupine Tree e por sua sólida e espetacular carreira solo, ele também acumula uma extensa lista de projetos paralelos. Um deles é o No-Man, que foi, na verdade, seu primeiro. Formada em 1987, a dupla de Wilson e Tim Bowness tem a proposta de trazer um som eletrônico, baseado em samples, com explícitas tendências “Art Pop”.

Após 11 anos do lançamento do belíssimo “Schoolyard Ghosts”, Wilson e Bowness estão de volta, com o recém-lançado “Love You To Bits”.

O álbum consiste de duas suítes, de um lado “Love You To Bits” e do outro “Love You To Pieces”, ambas divididas em 5 partes. Apesar disso, é uma audição que passa voando.

“Love You To Bits” se inicia com um beat EDM pulsante, colorido por sintetizadores que passeiam livremente pelos canais, e já apresentando o Motivo melódico mais recorrente do disco, na voz doce de Bowness. Destaque para o Riff cheio de Groove de sua terceira parte, juntando-se à bateria certeira de Ash Soan, num amálgama entre o eletrônico e a instrumentação orgânica. A catarse acontece na “Bit 4”, onde todos esses elementos se tornam um, criando uma explosão sonora, até um fim tranquilizante e melodioso.

“Love You To Pieces” começa com os Motivos da primeira suíte, com toques de música ambiente, até desembocar num Beat pesado, com sintetizadores anunciando um explosivo solo de teclado na “Piece 2” (não negando as raízes Prog de Wilson). Destaque para a etérea “Piece 4”, até um final Jazzístico e viajante, encerrando essa odisseia de maneira incrível.

“Love You To Bits” foi uma das surpresas mais agradáveis desse ano. Uma viagem por uma espécie de “Neo-Synthpop”, e, acima de tudo, uma audição divertidíssima, e que nos revela elementos novos à cada retorno. Afinal, tudo que passa pelas mãos de Steven Wilson merece uma atenção especial!

Autor: Caio Braguin

16 anos, baterista, aficionado por música (e todas as formas de arte) desde o berço. Música é minha vida!

Deixe um comentário