55 anos de Eddie Vedder, uma das grandes vozes do Grunge

Ser um grande cantor geralmente te garante uma posição de respeito, mas quando se escreve todas as letras, e quando estas letras são as do Pearl Jam, você está ainda acima. E Eddie Vedder, que hoje completa 55 anos, é exatamente esta pessoa, que além do aspecto musical também carregou na linha de frente a polêmica mensagem e os princípios da banda, mas sempre teve um grande carisma, por mais que não tenha medo de ser irreverente.

Nascido em Illinois, Vedder teve seus pais divorciados pouco após seu nascimento, e foi criado pela mãe e padrasto (ele achava que seu padrasto era seu pai, história contada no hit “Alive”) junto com 7 irmãos adotados. Quando pré-adolescênte, sua família se mudou para San Diego, e lá Eddie começou a surfar e tocar guitarra, hobbies que se tornaram grandes paixões dele. Eddie passou por muitos problemas, e teve que viver sozinho se sustentando para completar o ensino médio na Califórnia. No entanto, largou o colégio para conciliar seu sustento, e passou por diversas bandas na Costa Oeste dos Estados Unidos no fim dos anos 80.

Em 1990, o Mother Love Bone (banda grunge de Seattle) perdeu seu vocalista Andrew Wood, e Eddie recebeu, por intermédio de Jack Irons (então baterista do Red Hot Chili Peppers), fitas demo da banda, sob as quais Eddie escreveu letras e gravou vocais sobre. As músicas em questão viriam a se tornar Alive, Once e Footsteps, e as gravações surpreenderam os membros da banda, e Eddie acabou sendo chamado para a banda que, meses depois sua entrada, já se estabeleceria com o nome de Pearl Jam. Em 1991 se juntaram a Chris Cornell no projeto Temple of The Dog, que consistiu num disco em homenagem ao falecido Andrew Wood, onde Eddie e Chris tem grandes duetos que renderam ao disco mais de um milhão de cópias vendidas. Mas foi com a estréia do Pearl Jam com o disco Ten que Eddie alcançou a fama. Desde então Eddie lançou mais nove álbums com o Pearl Jam, e dois discos solo, o mais notável sendo a trilha sonora do filme Into The Wild (2007). Ele é uma das grandes vozes do Grunge, e também a última remanescente após tantas perdas, as mais recentes sendo de Chris Cornell e Scott Weiland.

Um grande destaque para Eddie são suas letras, que honram sua escola com The Who e Pink Floyd e que são, se for para usar apenas uma palavra, únicas. Genericidade é a sua antítese, e tudo o que ele escreve tem sua própria cor, sua beleza e autenticidade. Suas performances ao vivo também são muito marcantes, e sua voz profunda com variedade e dinâmica fecham o pacote o garantindo como um grande artista que merece ser comemorado e lembrado nesta data. Não apenas por completar mais um ano, mas sim pelos feitos que completou ao longo deles, parabéns Eddie Vedder!!!

Autor: allanfranzner

Guitarrista, amante e entusiasta da música, principalmente do rock n' roll!

Deixe um comentário