“Diana Ross Presents The Jackson 5” – 50 anos da estreia de um dos maiores grupos da Motown Records

Há 50 anos atrás, um dos maiores grupos da história da Motown, e consequentemente da música negra americana, estreava com um formidável LP: “Diana Ross Presents the Jackson 5” (1969).

Após o patriarca da família Jackson, Joe, ver a incrível mina de talento e sucesso que seus filhos poderiam oferecer, decidiu juntar um grupo musical, e atuar como uma espécie de empresário do conjunto, que na formação contava com os irmãos Jackie, Jermaine, Tito, Marlon, e logo mais sendo adicionado o caçula Michael, logo após ele ter impressionado toda a família com seu incrível e precoce talento.

Após participarem de uma série de eventos de calouros e concursos de talentos, decidiram arriscar um teste na então já fantástica Motown, teste este que simplesmente deixou o lendário Berry Gordy alucinado com tamanho feeling musical vindo de um grupo tão jovem, e tratou logo de contratar os garotos para o seu selo, e assim era o começo da incrível jornada das primeiras gravações dos The Jackson 5 na Motown Records, e que resultariam no fantástico disco “Diana Ross Presents the Jackson 5”.

O repertório é recheado de canções sensacionais e clássicos de cair o queixo. Como a energia contagiante da mega clássica “I Want You Back”, a maravilhosa balada “Who’s Loving You” (composta por Smokey Robinson) e que conta com uma performance simplesmente espetacular do pequeno Michael, demonstrando uma segurança vocal inexplicável para uma criança. Outras pérolas que merecem destaques são a divertida e funkeada “Zip-A-Dee-Doo-Dah”, as Soulzeras sensuais de “Can You Remember?”, e “Standing in the Shadows of Love”, além da linda versão de “My Cherie Amour”, tão boa quanto a original de Stevie Wonder. Ainda havia espaços nos sulcos para momentos de puro groove em Funkys brilhantes como “Chained”, “Nobody, e um grande cover de “Stand”, clássica faixa do Sly & The Family Stone.

“Diana Ross Presents the Jackson 5” é uma excelente estreia de musicalidade ímpar. Os incríveis arranjos groovados e Soul são de um charme irresistível, e as harmonias e performances vocais tanto do pequeno Michael, quanto de seus irmãos, eram inacreditáveis mesmo para os padrões da época. Além disso, pode ser considerado como um disco histórico, pois além de se tratar do surgimento e do estouro de uma dos nomes mais notórios da história da Motown, foi também a revelação da plataforma em que um dos maiores ícones da história da música mundial alçaria seus primeiros e bem sucedidos vôos.

Anúncios

Autor: Felipe Silva

28 anos, paulista, corinthiano, e o mais importante, consumidor compulsivo de música! Rock, Soul, Funk, Blues, Jazz, MPB, que a música boa seja exaltada independente de gênero. God bless you all.

Deixe um comentário