“What’s My Name” – O ótimo e novo disco do velho Ringão

O lendário baterista, cantor, compositor e obviamente ex-Beatles, Ringo Starr, lançou este ano um novo disco batizado de “What’s My Name”, o vigésimo de estúdio de sua carreira solo iniciada lá em 1970.

Ringo decidiu unir forças com boas parcerias com grandes nomes veteranos do Pop e do Rock, e reuniu uma coleção de 10 boas e competentes composições que nos entregam divertidos e cativantes momentos ao longo do álbum.

O disco abre os trabalhos com Gotta Get Up to Get Down”, com um excelente groove do riff do grande guitarrista Joe Walsh do Eagles, que também canta junto com Ringo na música, em cima de uma sacolejante pegada Funk Rock. “Grow Old With Me” é uma bela e nostálgica balada composta e gravada por John Lennon poucos antes de falecer, e saiu no álbum póstumo “Milk And Honey” (1984). Ringo a regravou de forma bastante singela, e para dar ainda mais o clima de homenagem ao velho amigo, chamou nada mais que Paul McCartney para tocar baixo e auxiliá-lo nos vocais. Outra curiosidade é que Ringo afirmou que alguns trechos do arranjo de cordas foram emprestados da clássica “Here Comes The Sun” de George Harrison, ou seja, ele conseguiu “reunir” o icônico quarteto de Liverpool novamente, resultando num dos pontos mais altos do disco.

O disco mantém um bom nível em seu desenrolar e proporcionando agradáveis momentos como a regravação mais roqueira de “Money”, clássica do Soul da Motown (e que também foi gravada pelos Beatles em 1963), e Rocks bem divertidos como “It’s Not Love That You Want”, “Thank God For Music, e “Magic” (composta em parceria com o grande guitarrista Steve Lukather da banda Toto, que faz um belo solo na faixa). O álbum é finalizado com a faixa título “What’s My Name” naquela velha pegada Rock com toques de Country que Ringo tanto adora.

“What’s My Name” é um bom e descompromissado disco de Rock And Roll e Pop que com certeza irá te entreter e envolver de forma satisfatória em seus poucos mais de 34 minutos. É lindo ver que uma lenda que não precisa provar mais nada como o Ringão, há essa altura ainda continue mantendo a chama acesa junto com a vontade e o amor de fazer música sempre vivo. Audição recomendada!

Anúncios

Autor: lusquinhos87

Eu queria ter uma bomba, um flit paralisante qualquer. Pra poder me livrar do prático efeito. Das tuas frases feitas, das tuas noites perfeitas

Deixe um comentário