“Songs For Young Lovers” – O começo de uma nova era para Frank Sinatra

Há 65 anos, Frank Sinatra mudava sua voz e se eternizaria como o homem solitário e frágil dos bares e esquinas da vida. O álbum Songs For Young Lovers não foi um recorde de venda. Porém veio na hora certo criando um estilo que conhecemos até hoje dos “olhos azuis” mais famoso do mundo. A vida pessoal do canto estava passando por uma turbulência e seu casamento estava indo por água abaixo. Com as vendagens baixas dos álbuns anteriores e as brigas com o produtor Mitch Miller. Fez com que Frank fosse dispensado pela Columbia Records. Isso mesmo, a vida não estava fácil para Frank Sinatra em 1953. Mas, quem tem a estrela e o talento de Sinatra não morre “na praia”. O vice-presidente da gravadora Capitol, Allan Livingston. Um nome de peso, ele criou (1946) a marca do palhaço Bozo que foi um dos maiores sucesso na tv américa e com vendas de LP’s e livros, um sucesso com público infantil. Allan Livingston colocou o produtor Voyle Gilmore, e indicou o nome de Nelson Riddle que formaria uma dupla bem-sucedida na carreira do cantor. A situação de Frank Sinatra não era boa, existia um acordo de risco, que se as coisas não funcionassem em um ano, Frank estaria na rua. Além disso ele pagava os músicos com seu cachê. A gravadora estava apostando em Frank, e ele estava querendo mudar a sua sorte.

O cantor estava mais confiante e com uma nova sonoridade que ele adquiriu em Las Vegas. Agora na “cidade dos anjos”, Sinatra sugeriu cantar novas versões de canções que ele interpretava nos cassinos. O casamento que duraria mais de 20 anos com Nelson Riddle estava começando. Com isso ele trouxe George Siravo que fazia os arranjos na época da Columbia, sua antiga gravadora. A técnica e habilidade natural de sua voz, na época já modificada por excessos extravagantes como a bebida e o fumo excessivo, mas com uma maturidade e potência admiráveis, longe de se colocar defeito. Só Frank sabia como ninguém hipnotizar e convencer (se quisesse) aos ouvintes. Mudando para o algo mais jazzístico. Ele tomou o caminho certo!

O novo produtor deu uma liberdade artística muito maior para o Sinatra e seu novo arranjador, que contou com os estúdios mais modernos da gravadora. Dentro das 8 faixas desse álbum temos “I Get a Kick Out of You” uma música que Cole Poter cantava na Broadway. Ela se tornou um hino na voz de Sinatra ao longo da sua carreira. A canção fazia uma citação explicita à cocaína. Depois foi alterada para “Perfumes da Espanha”. Um pouco mais discreto (risos). A grande verdade que Nelson Riddle só fez o arranjo Like Someone In Love, sozinho. As outras canções ele fez com Siravo, que não está nos créditos do álbum. O álbum tem um ar conceitual e hoje é visto como o tal. Mas, na época ele era bem comercial, trazendo canções da Broadway e músicas dos filmes preto e branco da época. Hoje é chamado dessa forma, só que os álbuns conceituais estavam ainda por vim nos próximos anos.

No fim das contas Songs For Young Lovers, coloca Sinatra novamente nos holofotes aos poucos na rota dos seus tempos outrora de sucesso. Quando você pegar esse álbum para ouvir, vai saber que esse é o início do Sinatra que conhecemos. As coisas começam a mudar na vida do “olhos azuis”, ele ganha um Oscar de ator coadjuvante nesse período pelo filme “From Here to Eternity”. A sorte voltava a sorrir para o cantor. Mas essa é uma outra história, que o todos sabemos. Hoje queremos celebrar o eterno álbum que trouxe a vida de Frank Sinatra.

Anúncios

Autor: Felipe Silva

28 anos, paulista, corinthiano, e o mais importante, consumidor compulsivo de música! Rock, Soul, Funk, Blues, Jazz, MPB, que a música boa seja exaltada independente de gênero. God bless you all.

Deixe um comentário