“Like A Virgin”: 35 anos de uma pérola do Pop oitentista

No dia 12 de novembro de 1984, a grande Rainha do Pop (Obviamente que nessa época ela ainda havia recebido esse título) Madonna, lançou um dos discos mais icônicos de sua carreira, e que logicamente em 2019, está completando inacreditáveis 35 anos de lançamento: “Like A Virgin”.

Após o lançamento de seu álbum de estréia de 1983, Madonna quis solidificar seu futuro na indústria da música, aproveitando o bom sucesso obtido com seu primeiro LP. Madonna desejava profundamente se tornar uma das produtoras do disco, mas a gravadora Warner ainda não estava pronta para lhe dar a liberdade artística que ela queria. Mas em troca, o grande gênio e um dos maiores produtores e hitmakers da história da música Pop, Nile Rodgers, foi convocado para dar o brilho e a lapidação necessária que Madonna ansiava para seu segundo registro.

O disco todo é carregado da típica e gostosa sonoridade Pop oitentista, repleto de batidas e sintetizadores muito bem sacados e arranjados, que unido a canções hiper cativantes, e a imagem sexy e linda de Madonna, fizeram de “Like A Virgin” um dos maiores fenômenos da cultura Pop 80s. Os grandes destaques do disco ficam para as megas clássicas “Material Girl” (Uma das melhores do álbum, e uma músicas Pop feminina mais contagiantes da década de 80) a faixa título “Like A Virgin”, com sua linha de baixo sintetizada surrupiada da clássica “Billie Jean” de Michael Jackson, sua estética sonora representa o que há de melhor para todos aqueles que gostam muito da proposta marcante do Pop feito há três décadas atrás. “Over And Over” remete a um Popzão ensolarado daqueles ideais para se ouvir dirigindo numa grande estrada, e lembra mais ou menos a pegada que Bruce Springsteen fez no clássico “Born In The USA” (1984).

A malemolência sexy de “Love Don’t Live Here Anymore” surpreende pela grande interpretação vocal de Madonna, e um exuberante arranjo de cordas, enquanto que “Dress You Up” é o melhor e mais contagiante momento da obra na humilde opinião deste que vos fala, com backing vocals extremamente bem sacados, maravilhoso arranjo Pop oitentista onde os sintetizadores brilham com exuberância, e uma deliciosa guitarra meio Funky de Nile Rodgers, que ainda faz um ótimo solo na faixa.

“Like A Virgin” é um verdadeiro março importantíssimo dos anos 80, e que segue influenciando até hoje. Um retrato perfeito do início avassalador de uma das maiores lendas vivas da história da cultura Pop musical.

Anúncios

Autor: Felipe Silva

28 anos, paulista, corinthiano, e o mais importante, consumidor compulsivo de música! Rock, Soul, Funk, Blues, Jazz, MPB, que a música boa seja exaltada independente de gênero. God bless you all.

Deixe um comentário