Saxon – Metalhead Fez a cabeça dos “Headbanger”

Há 20 anos a banda de Heavy Metal britânica Saxon, lançava seu álbum Metalhead. Trazendo a força que a banda conquistou nos anos 80. A banda que começou no final da década de 70. Com sua formação original que nasceu nas regiões de South Yorshire, contava com Biff Byford, Paul Quinn, Steve Dawson, Graham Oliver e David Ward. A banda liderou o movimento chamado de “New Wave of British Heavy Metal” que contava com bandas como Iron Maiden, Judas Priest, Venom e Def Leppard. O movimento que depois ganhou o mundo. Esse movimento que nasceu no final dos anos 70, quando bandas como Led Zeppelin, Deep Purple e Black Sabbath começou a perde espaço para chegada do punk. Não só o punk com Ramones, The Clash, Sex Pistols, Dead Kennedys, entre outras. Mas também “Pop Music” e a “Disco Music”. Com esses movimentos musicais acontecendo e as bandas de “Metal” da época indo para outros caminhos em sua sonoridade. O movimento “New Wave of British Heavy Metal” resgatou a sonoridade metálica das bandas que eram considerados o “metal” da época. Eles tiraram o blues da primeira geração do metal e colocaram mais velocidade e um peso maior. Assim nascia uma nova forma de fazer metal.

A banda Saxon fez isso muito bem principalmente no começo dos anos 80, quando lançou três álbuns que confirmaram o talento deles antes da metade da década. Os de estúdios “Wheels of Steel” e “Strong Arm of the Law” ambos de 1980. Depois em 1997, até foi lançado como um álbum duplo. E o ao vivo “The Eagle Has Landed” que faz uma trinca perfeita.  A banda foi se tornando uma das melhores do gênero e fez bastante sucesso com outros álbuns e sofreu também com as mudanças de seus integrantes. A banda sofreu essas mudanças no final da década de 80 e o começo da década de 90.

 O começo da década de 90 a banda passava por outra mudança de sonoridade na musica mundial. A chegada do grunge, Pop Music e os Raps. Novamente a banda estava no meio de vários movimentos musicas que acabou dividindo as atenções do sucesso da “nova onda do metal” na década anterior. Porém, esse não era mais o problema. Saxon se encontrava com autonomia para andar com suas próprias pernas. A banda lançou bons discos ao longo dos anos 90.

Mas foi no ultimo ano da década que a cabeça dos “from Hells” explodiram com o Metalhead. O álbum que se remete algumas bandas como Ozzy em seus primeiros álbuns. Ele se divide em um começo mais pesado e a metade para o meio conseguimos ver um som totalmente emulado do metal dos anos 80, feito de modo mais sofisticado sem exageros na sonoridade. A formação que gravou o álbum contava com Biff Byford (vocal), Paul Quinn (Guitarra), Doug Scarratt (Guitarra), Nibbs Carter (Baixo), Fritz Randow (bateria), Chris Bay (teclado) e contou com a participação especial em algumas composições de Nigel Glockler que não estava na banda, devido a uma lesão.  Para o seu lugar a banda contou com Fritz Randow.

O álbum já começa com uma introdução épica e progressiva para em seguida da faixa titulo do álbum. A faixa “Metalhead” tem um belo trabalho de “cozinha”, que  formada pelo baixista Nibbs Carter e pelo baterista Fritz Randow é incisiva e imponente. Já as faixas “Are We Travellers In Time” e “Conquistador” definem o que é o metal. Se você quiser apresentar o peso e uma excelente demonstração de Heavy Metal, você pode apresentar essas duas faixas.  Mas, é na faixa “Song of Evil” que os “From Hells” recebem uma prova viva da experiência da banda. Com um som pesado com uma harmonia excelente, os veteranos do Saxon entregam um Heavy Metal em alto nível. Metal na veia!

Eu poderia dizer que os primeiros acordes de “All Guns Blazing” você pode remeter ao som do metal dos anos 80, feito com muita qualidade. A coisa bate e fica no seu ouvido, a introdução da música vem acompanha de um agudo do Biff Byfford, que acaba sendo a senha para uma faixa reta e direta. Um som f***!  Você não consegue tomar folego em Metalhead, simplesmente às próximas faixas são verdadeiros grudes para qualquer “headbanger”.  O álbum está repleto de boas composições, e uma sonoridade robusta e melódica. Como vemos na ultima faixa “Sea of Life”. Não existe tempo para firulas ou conversa. O álbum é “pau no gato sem massagem” as guitarras poderosas de Paul Quinn e Doug Scarrat estão pesadas e precisas. Deixo aqui um dever de casa, acompanhe o groove viciante de “What Goes Around” e depois comente o que achou.

A banda entregou uma verdadeira obra do Heavy Metal em meio à decadência do metal nos anos 90. Saxon fez do “bug do milênio” um trampolim para mostrar sua qualidade e Heavy metal de verdade. Provou que não esta de favor entre as melhores bandas de Heavy Metal. Eu convido aos desatentos e novatos do metal a entrar de cabeça nessa mais velha e eterna onda do Heavy Metal.

Anúncios

Autor: lusquinhos87

Eu queria ter uma bomba, um flit paralisante qualquer. Pra poder me livrar do prático efeito. Das tuas frases feitas, das tuas noites perfeitas

Deixe um comentário