40 anos de “Journey To Dawn”: Milton Nascimento revelando ao mundo a sua genialidade musical

Há 40 anos, um dos músicos mais geniais da história da música brasileira, lançava ao mundo mais um belo tijolo de sua linda e imensa parede musical: Eis que falo de “Journey To Dawn” de Milton Nascimento, originalmente gravado e lançado em 1979.

Journey To Dawn” se tornou um trabalho de tentativa com o intuito de difundir o músico mineiro no mercado dos Estados Unidos. O álbum consiste em uma série de regravações internacionais das canções mais clássicas e antológicas da carreira de Milton (Que há está altura, já poderia ser considerada como lendária). Em seu desenrolar, o disco alterna entre momentos cantados em inglês e português de forma brilhante por Milton, que canta lindamente passeando com destreza pelos dois idiomas. O disco ainda conta com músicos do calibre de Naná Vasconcelos, Robertinho Silva, Lô Borges, Beto Guedes, e Jim Price.

Destacando algumas pérolas da obra, na abertura temos a dobra de “Pablo” que inicia com uma cativante percussão com batidas africana e um forte coral. Em seguida, nossos ouvidos são presenteados com diversas versões maravilhosas como “Idolatrada”, com um poderoso riff de guitarra, e um arranjo incrível levado a toques de pianos elétricos, sessão de metais e uma maravilhosa orquestração que resultam num Rock Progressivo pra fã nenhum do gênero botar defeitos. Na sequência temos uma linda versão de “Canção da América” (Que curiosamente é a primeira gravação desse grande clássico) com a magnífica voz de Milton acompanhada por um belo dedilhar de violões. A cativante versão de “Maria, Maria” surpreende por ser sem letra, com Milton junto com um lindo coral nos fazem arrepiar com suas maravilhosas e características harmonias de vocalizes.

A faixa título “Journey To Dawn” é uma versão inglesa da clássica “Crença” do primeiro disco de Milton de 1967, e é um lindo tema Bossa/Jazz com um elengantérrimo arranjo. As estupendas “O Cio Da Terra” (Composta em parceria com Chico Buarque), e “Paula & Bebeto” soam incríveis aqui, e as considero praticamente do mesmo nível de suas respectivas gravações originais. E “Credo” ganhou uma maravilhosa repaginada com um delícioso clima meio Samba e Jazz Fusion, com uma levada maravilhosa da “cozinha” e incríveis e frenéticos solos de piano elétrico alá Herbie Hancock. Com certeza um dos momentos mais inspirados do álbum. A obra é finalizada com o tema “Louca”, uma peça instrumental com Mílton mais uma vez encaixando suas lindas vocalizes com sua “Voz de Deus” (Como diria Elis Regina) em cima do clima afro espiritual exalado na faixa.

A discografia de Milton Nascimento é uma maravilha em termos de álbuns, principalmente nos anos 70, e mesmo que não possamos considerar este disco como uma das obras primas gravadas por Milton do nível de “Clube Da Esquina” (1972), e “Minas” (1975), ainda assim, “Journey To Dawn” é um belíssimo e importante registro para a carreira genial do grande Bituca, e que com certeza merece muita a audição.

Autor: Felipe Silva

28 anos, paulista, corinthiano, e o mais importante, consumidor compulsivo de música! Rock, Soul, Funk, Blues, Jazz, MPB, que a música boa seja exaltada independente de gênero. God bless you all.

Deixe um comentário