Calmo como uma bomba – “20 Anos de The Battle Of Los Angeles”

O Rage Against The Machine é uma banda que só poderia surgir nos efervescentes anos 90. Sua única mistura do Metal com o Rap marcou época e se tornou uma marca registrada. Após o excelente “Evil Empire” (1996), os caras se reuniram para gravar o que seria seu último disco de inéditas, o explosivo “The Battle Of Los Angeles”, lançado no dia 2 de Novembro de 1999.

Aqui, temos mais uma amostra do poder sonoro da banda. Os incríveis efeitos de guitarra e Tom Morello, alinhados ao Rap direto e cortante de Zack de la Rocha, com um grande cunho político (que, concorde com ele ou não, dá uma força tremenda ao som).

Isso já nos atinge de cara em “Testify”, uma porrada, com um riff marcante, pontuando de maneira excelente as rimas de Zack. Mal há tempo para respirar, quando surge a locomotiva guitarrística de “Guerrilla Radio”, um dos grandes sucessos da banda. O balanço entre o peso da e o Groove (com baixos FEDERAIS) é a perfeição do “Rap Metal” do RATM.

“Calm Like A Bomb” começa de maneira mais calma, com um baixo à la Aston Barrett por parte de Tim Commerford, ganhando um peso mais Groovado, assim como o petardo Hip Hop “Mic Check”, e “Born As Ghosts”, a porradaria sincopada que tanto contagia.

É claro que, sendo uma banda com uma sonoridade tão característica, há uma tendência ao repetitivo, mesmo que em boas músicas como “New Millennium Homes” e “Ashes In The Fall”, que acabam destoando um pouco do resto do álbum (junto a letras que, quando tentam cobrir um terreno muito grande ao invés de um alvo específico, acabam soando vazias)

Alguns dos momentos mais brilhantes do disco estão em canções mais densas e bem trabalhadas, como “Born Of A Broken Man”, ou o toque industrial da última faixa, “War Within A Breath”, que encerra-o de maneira impactante.

“The Battle Of Los Angeles” é mais um grande álbum do Rage Against The Machine. Sem inventar muito, lançaram mais um trabalho carregado de fúria e um espírito revolucionário, encerrando a discografia da banda “Calma como uma bomba”!

Autor: Caio Braguin

16 anos, baterista, aficionado por música (e todas as formas de arte) desde o berço. Música é minha vida!

Deixe um comentário