It’s Only Rock ‘n’ Roll – Obrigado, Mick Taylor!

Há exatos 45 anos, os The Rolling Stones lançava o It’s Only Rock’ n’ Roll, o álbum que marcava a saída definitiva do guitarrista Mick Taylor. Para muitos os melhores álbuns da banda passam pelas mãos do talentoso e por que não? O “Prodígio”, Mick Taylor.

Os The Rolling Stones havia lançado o disco “Goats Head Soup” com elementos “Funky” no ano anterior. Apesar da banda não culpar o seu produtor Jimmy Miller, de alguns acertos e erros do álbum. A dupla, Richards e Jagger, acharam que era hora de começar a produzir o disco. Então com o pseudônimo de “The Glimmer Twins” começaram a trabalhar. Depois dessa escolha, todos os álbuns da banda seriam com produção própria ou com ajuda de algum produtor externo.

Um amigo de estrada surgiu ainda na época da produção do disco, Ronnie Wood ex-membro da banda “The Faces”, havia convidado Mick Taylor para tocar em seu disco. O disco seria gravado em sua casa e uma coisa logo puxou a outra. Enquanto gravava o disco “I’ve Got My Own Album to Do” (te convido para ouvir, ótimo álbum!) com a guitarra de Mick Taylor, a esposa de Ronnie Wood convidou Keith para a famosa “The Wick”, como era conhecida a casa do casal. Com a chegada de Keith no local, foi questão de tempo para um novo casamento acontecer, entre os futuros guitarristas dos “Stones”.

 A participação de Ronnie Wood na faixa título foi bastante importante. Pois, foi questão de tempo para Mick Jagger fazer parte dessa relação e começar a produzir a faixa. Ela foi gravada em outro momento, com isso foi realizada uma “Jam” especial com o baterista do “The Faces” Kenney Jones e o Ronnie Wood. A participação especial ficou por conta de nada mais, nada menos que David Bowie e seu Baixista Willie Weeks. Com isso Jagger apresentou a canção para Richards que acrescentou sua magica e assim nascia à faixa titulo do disco. Com algumas participações na criação de algumas músicas, mesmo sem os créditos devidos que ficaram destinados para Jagger/Richards; Mick Taylor estava se despedindo em alto nível.

O disco estava às portas de ser lançado e contou com uma capa bem marcante, com a arte do pintor belga Guy Peellaert. O pintor fez do The Rolling Stones “deuses do rock”, descendo as escadas do templo com garotas envolta os adorando. Confesso que é a imagem perfeita que temos da banda mais “Rock’ N’ Roll em filosofia e som”. Ele também assinaria a capa de “Diamond Dogs” o disco de David Bowie.

Com uma capa marcante e o talentoso time de apoio da banda que contava com Billy Preston, Nicky Hopkins e membro não oficial Ian Stewart, Elton Jonh sideman (músico contratado) Ray Cooper.

Os The Rolling Stones lançavam no dia 18 de outubro de 1974 seu 12° britânico e 14° álbum de estúdio americano. A critica não ficou satisfeita, com o resultado do disco. Chamara de preguiçoso e de uma continuação do ultimo álbum. Chegaram a falar que era um disco que trazia mais do mesmo. Isso não era ruim, porém muitos encaram o álbum como uma sonoridade definitiva dos “Stones”. A formula estava criada. “Apesar de ainda contar com álbuns futuros como “Black And Blue” e “Some Girl”, tendo no primeiro elementos de reggae e o segundo com elementos mais dançante influenciado de alguma forma pela ‘Disco Music”.

O álbum “It’s Only Rock’ N’ Roll, marcava o som definitivo da banda para alguns e outros acreditavam na formula perfeita”.

Em canções como “If You Can’t Rock Me”, “Ain’t Too Proud to Beg”, “It’s Only Rock ‘n Roll” marcadas pelos “riffs” e solos. As baladas ficaram por conta de  “Till the Next Goodbye” ,”Time Waits for No One” ,”Luxury” ,”If You Really Want to Be My Friend”.  Se essa é formula da banda, confesso que acho perfeita. Como é executada em grande estilo durante ao longo desses 50 anos. Os fãs não acharam diferente, o álbum alcançou o primeiro lugar nos Estado Unidos e o segunda nas “paradas” britânicas. Após o lançamento não ocorreu nenhuma turnê, a banda decidiu ir para o estúdio e gravar seu próximo álbum. A banda voltaria em turnê somente em 75.

 Com a turnê “Tour da Américas 75” a ideia era fazer uma grande pelas Américas. Porém, só ficou concentrado nos Estados Unidos e Canada. Depois da escolha de Mick Taylor de sair da banda. Eles precisavam de alguém a altura e chegaram a cogitar para o posto  Steve Marriott, Jeff Beck, Rory Gallagher, Harvey Mandel, Wayne Perkins, Peter Frampton e Ronnie Wood. Com chegada de Ronnie Wood a banda tomou bons rumos até 1981. Depois passou por uma crise e surgiu mais gigante como nunca e viva até hoje. Já Mick Taylor fez alguns trabalhos solos e participando de projetos. O guitarrista voltou a tocar em alguns shows com a banda em 2014 na turnê de 50 anos. O que sabemos é que Mick Taylor deixou sua marca em “It’s Only Rock’ N’ Roll” e os The Rolling Stones sobreviveu muito bem a mais uma saída.

Autor: lusquinhos87

Eu queria ter uma bomba, um flit paralisante qualquer. Pra poder me livrar do prático efeito. Das tuas frases feitas, das tuas noites perfeitas

Deixe um comentário