Hot Rats: 50 anos da obra-prima de Frank Zappa

Há exatos 50 anos, no dia 10 de outubro de 1969, foi lançado um dos grandes discos daquele ano: o incrível “Hot Rats”, de Frank Zappa. Como já falamos sobre Zappa em outras ocasiões aqui, é reduntante dizer que ele é um gênio da música, que viveu para ela, e que conseguia unir o estudo formal de música, a técnica, o experimentalismo, o jazz, o rock, letras satíricas, entre outros elementos, fazendo um som único e inventivo. Naquele ano, sua banda “Mothers of Invention” entrou num hiato e Frank estava quebrado, e largou a sua gravadora Reprise Records. No entanto, se juntou com “Ian Underwood” e algumas outras participações e lançou “Hot Rats”.

Naquele mesmo ano de 1969, surgia com “In a Silent Way”, de Miles Davis o jazz-fusion, cujo conceito pode ser resumido (com a perspectiva de análise histórica) em misturar o jazz com os mais variados gêneros. E Frank em “Hot Rats” seguiu a tendência do momento entregando um disco lendário, com composições escritas e arranjadas com perfeição. O hino “Peaches En Regalia” abre o disco, composto na forma-sonata (forma da música erudita, do período clássico), e é seguido pela única música cantada do disco: a funkyada “Willie The Pimp”, com um enorme solo de guitarra, característica que divide com “Son of Mr. Green Genes”, a terceira faixa. “Little Umbrellas” também está em forma-sonata, e segue uma linha parecida com “Peaches En Regalia”. As últimas duas músicas do disco “The Gumbo Variations” e “It Must be a Camel” são mais complexas e longas, mas igualmente maestrais.

Hot Rats é um disco obrigatório para todo fã de música, uma das melhores portas de entrada para a obra de Zappa, uma experiência fenomenal, com uma complexidade musical dosada tão bem, que apenas alguém como ele poderia coordenar. Convido todos a ouvir os 43 minutos deste festival de notas perfeitas, viva Frank Zappa!

Anúncios

Autor: allanfranzner

Guitarrista, amante e entusiasta da música, principalmente do rock n' roll!

Deixe um comentário