“Beat It”: O intenso Rock and Roll do Rei do Pop

Capa do single de “Beat It”.

É inacreditável pensarmos que uma das maiores canções da história do Rock, foi escrita e gravada por um artista que não é exatamente ligado ao gênero (Embora em diversas ocasiões tenha se aventurado dentro do estilo com muito louvor). Michael Jackson até então era um grande artista ligado ao R&B/Funk/Soul e Pop Music, mas em 1982 ele traria ao mundo uma música que se tornaria um divisor de águas em sua carreira, dando novas perspectivas musicais á obra de Michael. Estamos falando de “Beat It”, que obviamente não poderia estar de fora do nosso quadro “As 100 melhores canções de todos os tempos”.

“Beat It” foi a terceira ou quarta composição de Michael Jackson, e a última canção escrita para o lendário disco “Thriller” (1982). Na ocasião, Michael foi “desafiado” pelo mestre produtor Quincy Jones a criar algo nervoso e com batida de Rock and Roll, e a partir disso, Jackson foi trabalhar na música determinado a surpreender a todos presentes no estúdio, e foi exatamente isso e até mais além que Michael fez. Quando mostrou a música à Quincy e à todos que estavam envolvidos na produção do disco, a reação foi de queixos caídos e cabelos em pé pelo alto nível de qualidade da composição, e da certeza de que estavam diante de um hit avassalador.

Eddie Van Halen executando o memorável solo de “Beat It” durante um show da “Victory Tour” dos The Jacksons em 1984.

Em sua autobiografia “Moonwalk”, lançada em 1988, Michael fez a seguinte declaração sobre o processo de composição de “Beat It”: ‘‘Antes de eu escrever “Beat It”, estava pensando que eu queria escrever o tipo de música de Rock que eu iria sair e comprar, mas também alguma coisa totalmente diferente do Rock que eu estava ouvindo no Top 40 da rádio na época. A letra de “Beat It” expressa alguma coisa que eu faria se eu estivesse em apuros. Sua mensagem é que nós devemos abominar a violência, e isso é algo que eu acredito profundamente. Ela conta as pessoas para serem inteligente e evitar problemas. Eu não quero dizer que você deveria dar a outra face enquanto alguém chuta em seus dentes, mas, a menos que a sua volta é contra a parede e você não tem absolutamente nenhuma escolha, apenas se afaste antes que a violência cresça exponencialmente. Se você lutar e for morto, você ganhou nada e perdeu tudo, você é o perdedor! Isso é o que “Beat It” pretende dizer. Para mim, a verdadeira bravura está na resolução das diferenças sem uma luta, e tendo a sabedoria para fazer esta solução possível”.

“Beat It” é uma música também arrebatadora em termos de sonoridade. Com um poderoso riff de guitarra bem Hard Rock (Tocado por Steve Lukather, grande guitarrista da banda Toto), uma batida groovada, e vocais enérgicos e impressionantes de Michael, “Beat It” é inegavelmente incrível e inovadora para o Rock, além de apresentar um dos maiores e mais famosos guitarristas do mundo, Eddie Van Halen, num dos solos de guitarra mais icônicos da história da música! Na época, “Beat It” fez praticamente todas as músicas anteriores á ela soarem fora de moda em comparação. A música era tão à frente do tempo, que muitos críticos daquele momento, simplesmente não sabiam como caracterizá-la, além de ser na minha opinião, a gravação de Rock and Roll mais importante feita por um artista negro depois da morte da lenda Jimi Hendrix. “O som de “Beat It” foi simplesmente chocante, tanto para os ouvintes de R&B, quanto para os ouvintes de Rock”, chegou a escrever um crítico da Rolling Stone na época do lançamento.

Michael e Eddie no estúdio na gravação de “Beat It” (1982).

O single oficial foi lançado em 14 de fevereiro de 1983, e foi um tremendo estouro, com vendas estimadas em 5 milhões de cópias vendidas mundialmente. No Brasil, “Beat It” alcançou a #8 posição em 1983 das musicas mais tocada nas rádios. Michael conseguiu um feito inédito e histórico dos artistas internacionais, pois foi ele o primeiro músico a colocar duas canções no Top 10 do Brasil com Billie Jean #2 e Beat It #8. O vídeoclipe também se tornou um clássico absoluto, com Michael andando por ruas perigosas enquanto atua como um apaziguador de uma briga de gangues rivais, seguido por uma sequência final de coreografia icônica.

Em considerações finais, quando falamos da ligação entre Rock e Michael Jackson, não poderíamos deixar de citar “Beat It”, sem dúvida uma das maiores canções de Rock de todos os tempos, em que todos os elementos presentes nela, desde o riff, ao solo de guitarra, da melodia ao refrão, tudo trata-se de um grande e maravilhoso clássico não só da carreira do Rei do Pop, como da música em geral!

16/100

Durante a gravação do vídeo de “Beat It”, e a icônica jaqueta vermelha!
Anúncios

Autor: Felipe Silva

28 anos, paulista, corinthiano, e o mais importante, consumidor compulsivo de música! Rock, Soul, Funk, Blues, Jazz, MPB, que a música boa seja exaltada independente de gênero. God bless you all.

Deixe um comentário