“Good Vibrations”: A genial Ópera Pop de Brian Wilson e Beach Boys

Hoje no quadro “As 100 melhores canções de todos os tempos”, trazemos uma das mais músicas mais incríveis e revolucionárias da história da música Pop: “Good Vibrations” dos The Beach Boys, composta pelo gênio da banda, Brian Wilson, em parceria com Mike Love. As gravações de “Good Vibrations” se iniciaram no 19 de fevereiro de 1966, e ao longo dos 7 meses seguintes, a música foi construída aos poucos, envolvendo muitas experimentações e diferentes camadas com diversos instrumentos como violoncelo, piano e até mesmo um teremim, moderno instrumento eletrônico que emite uma espécie de som espectral.

O single foi lançado em outubro de 1966 e em pouco tempo, chegou ao primeiro lugar da Billboard Hot 100. Até mesmo os Beatles enviaram uma carta parabenizando os Beach Boys pelo excelente trabalho! Fato que deixou Brian extasiado, pois já na época ele ambicionava uma “rivalidade” musical com o quarteto de Liverpool, que começou de verdade mesmo em 1965 com o lançamento de “Rubber Soul” (A partir daí, ambas as bandas passaram a se influenciar cada vez mais, e isso se refletia com evidência em cada trabalho que os dois grupos lançavam). Os Beach Boys criaram “Pet Sounds” (1966) reagindo ao incrível avanço e maturidade que os Beatles começavam a demonstrar em “Rubber Soul” (1965). Logo depois os Beatles impressionados com a musicalidade de “Pet Sounds”, vieram com algo ainda mais avassalador: “Revolver” (1966), “obrigando” mais uma vez à grande mente criativa de Brian Wilson à “bater cabeça” para criar algo tão incrível, que ao menos fosse do mesmo nível do que a banda britânica estava realizando.

O ápice dessa “batalha” ocorreu em 1966, quando Brian estava dirigindo e de repente se viu obrigado a parar o carro no acostamento, devido à uma canção espetacular que tinha acabado de tocar no rádio. Se tratava da inacreditável “Strawberry Fields Forever” dos Beatles. Brian diz que ao ouvir aquela música pela primeira vez, teve a sensação de ter seu cérebro começando a derreter e escorrer pelas orelhas, enquanto seu esqueleto parecia ter sido sacudido por um terremoto de 203,9 na escala Richter. Após esse momento, Brian ficou chateado pelo fato dos Beatles terem chegado ao nível musical que ele tanto almejava, mas ao mesmo tempo, se sentiu também ainda mais determinado a superar toda aquela genialidade que havia acabado de ouvir. E é aí que “Good Vibrations” surge na história!

Brian acabou se lembrando de um episódio que ocorrera em sua infância, quando sua mãe dizia que os cães podiam captar as “vibrações” das pessoas, e só latiam para as “vibrações ruins”. Ele então transformou essa história na idéia geral da música. “É uma canção muito espiritual”, ele disse na época do lançamento, “E eu quero que ela passe boas vibrações”. Concluiu Brian. Se esse foi realmente a intenção de Brian, então ele conseguiu atingir, pois o single de “Good Vibrations” rapidamente alcançou o primeiro lugar da Billboard, e recentemente foi incluída na lista das 500 melhores canções do Rock da revista Rolling Stone. Em 1967, Brian planejava incluir “Good Vibrations” no disco “Smile, uma Ópera Pop que foi chamada pelo próprio Brian de “Uma sinfonia para Deus”, que era o mega projeto na qual Brian estava criando na época para desbancar de vez os Beatles que estavam com o recém lançado e revolucionário “Sgt Peppers”. Infelizmente por questões burocráticas e também pelo fato da tecnologia da época não atender às exigências que o ambicioso disco de Brian pedia, o disco foi engavetado e só lançando de forma oficial 44 anos depois.

Em considerações finais, “Good Vibrations” é tida até hoje como uma das mais brilhantes e cativantes produções da história da música Pop. Uma espécie de sinfonia Pop genial que só poderia ter sido concebida e criada pela mente brilhante e inquietante de Brian Wilson.

15/100

Autor: Felipe Silva

28 anos, paulista, corinthiano, e o mais importante, consumidor compulsivo de música! Rock, Soul, Funk, Blues, Jazz, MPB, que a música boa seja exaltada independente de gênero. God bless you all.

Deixe um comentário